Arquivo de etiquetas: Transportes

Ponte de Sor tem mais emprego

Ponte de Sor 46168798_2179303778987664_1989248501535473664_n
GRUPO REXIAA INVESTE EM PONTE DE SOR

Mais um dia importante para Ponte de Sor. O grupo francês Rexiaa, fabricante de componentes aeronáuticos em materiais compósitos, assinou ontem a escritura de aquisição da fábrica da extinta Dynaero.

Num investimento total superior a cinco milhões de euros, entre aquisição do imóvel e implementação de linhas de produção fabris, esta empresa tem como clientes grandes fabricantes de aeronaves como a Airbus ou a Dassault Aviation. O objetivo é iniciar a laboração já no segundo semestre de 2019, sendo que nos próximos três anos se propõe a criar entre 80 a 100 postos de trabalho em Ponte de Sor. Os responsáveis máximos da empresa estiveram ontem reunidos com o Presidente do Município, Hugo Hilário, que mais uma vez manifestou a disponibilidade da Autarquia, dentro das suas competências, para apoio na instalação da fábrica. Por sua vez, os responsáveis agradeceram todas as diligências efetuadas pelo Município desde o momento em que manifestaram interesse em investir em Ponte de Sor.

At https://www.facebook.com/

Anúncios

Em Zamora também se luta por ligação mais directa a Portugal

zamora-psoe-a11-javier-izquierdo-696x350
La A-11 con Portugal “podría estar más cerca” según el PSOE

Según el PSOE de Zamora “el actual Gobierno a través del Ministerio de Transición Ecológica ha declarado favorable el estudio de impacto ambiental, paso imprescindible para cerrar el proceso informativo y continuar con la redacción de los proyectos de construcción para poder licitar y adjudicar la obra que se encontraba paralizada por el Ejecutivo anterior”.

El PSOE de Zamora ha mantenido una reunión con el Secretario General de Infraestructuras, Javier Izquierdo con el fin de conocer de primera mano la situación actual en la que se encuentra el proyecto de la Autovía A-11 que conectará Zamora con Portugal.

Según el PSOE de Zamora “el actual Gobierno a través del Ministerio de Transición Ecológica ha declarado favorable el estudio de impacto ambiental, paso imprescindible para cerrar el proceso informativo y continuar con la redacción de los proyectos de construcción para poder licitar y adjudicar la obra”.

La incorporación de la A-11 en el Plan extraordinario de Inversión en Carreteras establece una vía de financiación pero “tenía importantes carencias que no habían sido contempladas por el anterior Gobierno”, afirman los socialistas, y según afirman “estos vacíos, provenían fundamentalmente de que la nueva Ley de Contratos del Sector Público y los criterios europeos de déficit y deuda pública exigen que en las concesiones haya una transferencia de riesgo de la operación sustancial al concesionario que se hace a través de un indicador de demanda, criterio que no tuvo en cuenta el Gobierno del Partido Popular a la hora de elaborar el PIC”. Para el PSOE, esto hace “evidente que el PP nos quiere tomar el pelo a los zamoranos y zamoranas con sus últimas declaraciones”.

Por su parte, Antidio Fagúndez, Secretario General del PSOE Zamora, califica como “muy positivo” la declaración favorable de impacto ambiental, “el pasado día 30 de octubre, se ha dado una paso hacia delante en una infraestructura que consideramos vital en el desarrollo socio económico de la provincia, así como fundamental en la conexión con la vecina Portugal”. 

Los socialistas tachan de “mentirosos” al Partido Popular de Zamora y les piden que “dejen de intentar confundir a los ciudadanos de esta provincia cuando ha quedado de manifiesto que en siete años de Gobierno de Mariano Rajoy no han tenido la voluntad ni el compromiso de llevar a cabo esta infraestructura”.

At https://www.noticiascyl.com/

As novas rotas aéreas desde Badajoz iniciaram este Domingo

Badajoz 311014_1

Ir y venir a Madrid (y viceversa) en el mismo día. Y ofrecer las garantías necesarias para que el aeropuerto pacense siga teniendo actividad. Además, una mejora en los precios, ya que las tarifas por trayecto (de ida o de vuelta) no podrán superar los 90 euros en el caso de la capital madrileña y los 110 euros si el destino es Barcelona. Serán las nuevas condiciones de los vuelos desde el aeropuerto de Badajoz a partir de este domingo, cuando ya entre oficialmente en vigor la OSP (Obligatoriedad de Servicio Público).

Habrá 11 vuelos semanales entre Badajoz y Madrid. Serán dos frecuencias al día de lunes a viernes y una el domingo. Las salidas desde Badajoz son a las 9.05 y a las 19.55 (esta también funciona el domingo). Desde Madrid, a las 7.30 y a las 18.15 (también el domingo).

En el viaje Badajoz-Barcelona, se mantendrán los cuatro vuelos de ida y vuelta semanales. Los horarios desde Badajoz son: martes a las 19.40, jueves a las 13.30, viernes a las 16.00 y domingo a las 9.40. Desde Barcelona, martes y jueves a las 11.15, viernes a las 7.40 y domingo a las 7.30 horas.

At https://www.lacronicabadajoz.com/

O Interior é “enorme oportunidade que está por explorar”

antonio-costa3-712x534

O primeiro-ministro discursava no final de uma visita à Coficab, em Vale de Estrela, Guarda, onde assistiu ao lançamento de um projeto de investimento avaliado em 38,1 milhões.

O primeiro-ministro, António Costa, considerou hoje na Guarda que o Interior do país “não é um fardo” nem um problema, mas antes a “enorme oportunidade que está por explorar”.

“Quando no Interior tivermos tanto crescimento como aquele que temos no Litoral, o país terá duplicado a sua capacidade de crescer. E essa é a oportunidade que nós temos”, disse António Costa.

O primeiro-ministro discursava no final de uma visita à empresa Coficab, em Vale de Estrela, Guarda, onde assistiu ao lançamento de um projeto de investimento avaliado em 38,1 milhões de euros.

“E, por isso, eu digo que o Interior não é um fardo, o Interior não é um problema. O Interior, pelo contrário, é a enorme oportunidade que está por explorar. E é essa exploração que nós temos que fazer e que temos que agarrar e que temos agora a oportunidade de fazer”, rematou.

No seu discurso, referiu que olhando para o mapa nacional, a realidade diz “que o enorme potencial que o país tem por aproveitar, que não tem aproveitado ao longo de décadas, é precisamente” o Interior.

“E, portanto, se queremos crescer, é toda esta faixa que vem desde o barrocal algarvio até à fronteira de Trás-os-Montes com a Espanha, que nós temos de ser capazes de mobilizar, de valorizar, e ajudar a fazer o país crescer, assumiu.

No entanto, segundo o líder do Governo, “para fazer não basta falar, não basta ter um secretário de Estado para a Valorização do Interior”.

“É preciso termos políticas concretas e integradas que permitam essa valorização do Interior”, rematou.

António Costa lembrou ainda que o Governo que lidera procedeu à reabertura de mais de 20 tribunais que tinham sido encerrados, à criação de Lojas do Cidadão no Interior e já procedeu a “uma primeira intervenção nas portagens”.

Disse ainda que o grande investimento que está atualmente a ser feito na ferrovia é na Linha da Beira Alta e na Linha da Beira Baixa, também no Interior do país.

Segundo António Costa, apoiar as empresas, a internacionalização, a valorização do Interior e a inovação, significa “mais empresas” e “mais emprego”.

O primeiro-ministro presidiu hoje na Guarda à assinatura de um contrato de incentivos fiscais ao projeto de investimento da fábrica Coficab.

Com o desenvolvimento deste projeto, segundo o executivo – em que a empresa beneficiará de um crédito fiscal em sede de IRC de 20% e isenção em sede do Imposto do Selo até ao montante máximo de 5,7 milhões de euros – serão criados mais 129 postos de trabalho até 31 de dezembro de 2022, bem como se garante a manutenção dos atuais 492 empregos.
Na sessão, Hichem Elloumi, presidente do Grupo Coficab disse que “a Guarda é muito especial” para a empresa e assumiu que, com o investimento a realizar, “o futuro da indústria automóvel é escrito na Guarda”.

O ministro da Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira observou que a unidade fabril “é líder mundial no setor em que trabalha”.

A comitiva do primeiro-ministro foi recebida com um protesto da FENPROF, com os manifestantes a gritarem palavras de ordem e a empunharem cartazes com mensagens como “O tempo de serviço não se negoceia – conta-se” e “Basta de desvalorização! Professores exigem respeito”.

At https://beira.pt/

Plataforma da A23 e A25 critica ausência de propostas no OE 2019 sobre portagens

A23 Portalegre 878c6bbef1b3db282254378ba3947738_N
A plataforma queixa-se que a abolição e ou redução do preço das portagens não constam da proposta de Lei do Orçamento do Estado, aparecendo apenas no documento designado “Relatório do OE”.

A Plataforma Pela Reposição das Scut na A23 e A25 lamentou esta quinta-feira que o Orçamento do Estado para 2019 apresente “uma mão cheia de nada” face às portagens, uma “falta de respeito pelas populações do Interior”.

“A Plataforma Pela Reposição das SCUT na A23 e na A25 procedeu a uma primeira análise ao Orçamento do Estado para 2019 e constatou que no que concerne a portagens temos uma ‘mão cheia de nada'”, refere a Plataforma, em comunicado.

Adianta que, ao contrário de outras medidas para as áreas metropolitanas de Lisboa e Porto e uma ou outra “medida desgarrada e insuficiente” para o Interior, a abolição e ou redução do preço das portagens não constam da proposta de Lei do Orçamento do Estado, aparecendo apenas no documento designado “Relatório do OE”.

“Ainda assim, limita-se a dizer que no decorrer de 2019 se verificará a redução para os veículos de transporte de mercadorias, não dizendo, nem quando, nem como se vai processar essa redução e deixando de fora dessa redução os trabalhadores e a população em geral”, lê-se no documento.

A Plataforma regista como “negativo e falta de respeito pelas populações e empresas do Interior” o facto de as portagens não constarem da versão do OE entregue na Assembleia da República.

Face à análise feita, a Plataforma decidiu desenvolver, com caráter de urgência, algumas medidas, onde se incluem pedidos de audiência ao ministro do Planeamento e Infraestruturas, ministro-Adjunto e da Economia e à Comissão Parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas.

Vão ainda reafirmar o pedido de audiência ao Presidente da República e elaborar e publicar uma carta aberta ao primeiro-ministro, que vai ser subscrita por várias personalidades da vida pública do Interior.

“A Plataforma reafirma que sempre que o primeiro-ministro, o ministro do Planeamento e Infraestruturas ou o Presidente a República se desloquem aos distritos de Castelo Branco e da Guarda se fará representar com uma delegação, preparada para manifestar o seu desagrado, conforme as circunstâncias, estando ainda sempre em agenda a realização de ações públicas nestes distritos ou fora deles”, concluem.

At https://expresso.sapo.pt/

Autarcas da região do Douro insistem na reactivação da ligação a Espanha

Douro comboiohistorico

 

Os autarcas do Douro insistem na reactivação da linha ferroviária do Douro até Espanha. Aproveitaram a presença do ministro da Economia, esta segunda-feira, na Régua, para reivindicarem um projecto sobre o qual, dizem, o Governo tem mantido o silêncio.

Nuno Gonçalves, vice-presidente da Comunidade Intermunicipal do Douro e presidente da Câmara de Torre de Moncorvo, vinca que a linha do Douro pode vir a contribuir para dinamizar a economia da região e do país e, por isso, é preciso voltar a ligá-la a Espanha: “não pudemos ter algo que está tão próximo de nós e que promove o desenvolvimento desta região, que dá lucro e que está quadragésimo lugar em termos de passageiros e mais, a linha do Douro será fundamental para o escoamento de produtos, como o mineiro de Torre de Moncorvo. No plano de investimentos não se encontra a reactivação desta linha e penso que o senhor ministro deveria olhar para este projecto como um pólo de desenvolvimento”.

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, não se alongou em comentários relativamente à reivindicação dos autarcas: “eu penso que os investimentos em infra-estruturas são importantes e devem ser considerados e estudados e é isso que o governo está a fazer”.

O ministro assume que é preciso continuar a melhorar a oferta da região e que isso se faz com infraestruturas, mas faz-se também com um trabalho em rede entre escolas, unidades hoteleiras, municípios, todos a trabalharem em conjunto: “promover melhor a região, como é o caso do Museu do Côa. É importante que este museu tenha melhores condições de visitação, assim como o alargamento dos horários. Porque é com este trabalho, e com os 59 projectos num investimento total de 60 milhões de euros em curso, mas claro que teremos que continuar a melhorar a oferta da região”.

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, insiste que é preciso melhorar a oferta turística da região, mas não garantiu nada sobre a ligação da linha ferroviária do Douro a Espanha.

Num estudo recente sobre as ligações ferroviárias transfronteiriças, a Comissão Europeia reconheceu que a linha do Douro é de grande potencial em termos turísticos e de coesão social.

At http://www.radioansiaes.pt/

Beirões também lutam por ligação directa a Espanha

IC 31 43763797_1691776354265656_1811602563909287936_n

Agora é o momento de negociar finalmente com o governo português este troço de auto-Estrada.

O presidente estremenho aposta por fazer os 19 km desde moral até a fronteira.
https://www.hoy.es/extremadura/vara-confia-presentar-20180926125510-nt.html

É uma auto-Estrada aprovada em 2005 segundo este link:
https://www.elperiodicoextremadura.com/noticias/temadeldia/portugal-extremadura-aprueban-autovia-norte-monfortinho_176744.html

De acordo com essa notícia se iniciava em 2008 a construção em Portugal até a fronteira:
http://www.elperiodicoextremadura.com/noticias/extremadura/portugal-inicia-construccion-autovia-monfortinho-castelo-branco_349951.html
Se esta notícia tivesse se tornado realidade, esta rodovia estaria em funcionamento há alguns anos.

É uma auto-estrada que poderia dar muita vida ao setor turístico, comercial e industrial.
Não em vão teria influência para o norte da extremadura de uma população de mais de 2 milhões de habitantes da zona centro de Portugal.

E poderia atrair para a zona de influência de Lisboa a sua passagem para Madrid ou outros pontos de Espanha. Essa população de influência de Lisboa são mais de 3 milhões de pessoas.
Até poderia atrair pessoas da zona norte de Portugal que são mais de 3.600.000 mil habitantes.
É uma auto-estrada sobre a qual têm corrido rios de tinta ao longo dos anos. Assista notícias no Google.

At https://www.facebook.com/ / Asociación para el desarrollo del Turismo del Norte de Extremadura

Hortense Martins 1436566590_10608501-10201980821115966-1461794955951966769-oO IC 31 é um projecto que temos defendido, como estratégico para a região e mesmo para o centro do País. Deputados do PS e autarcas, além da sociedade civil tem estado unidos neste propósito e que é ambição de já alguns anos. Infelizmente o governo anterior demonizou as estradas, dizendo que tinha,os estradas a mais e estas deixaram de ter apoio comunitário.

Neste momento o governo português têm lutado para que a rodovia seja contemplado no próximo quadro comunitário e pretendemos que este projecto seja contemplado. Não foi nem é uma luta fácil, mas vamos continuar a defender esta ligação importante ao território espanhol e que liga a Madrid.

At https://www.facebook.com/ / Hortense Martins