Arquivo de etiquetas: Juventude

Opinião: “O associativismo em Nisa por estes dias”

FB_IMG_1506778884109

Anúncios

Crónica: “Uma história inspiradora”

Filipa

Sou a Filipa Guimarães. Aos 36 anos foi-me diagnosticado cancro de mama, algo que não estranhei atendendo ao meu código genético familiar de alto risco, onde grande parte dos meus familiares diretos tiveram cancro e infelizmente alguns deles não conseguiram vencer esta árdua batalha.

A 14 de Fevereiro de 2015 recebi esta notícia que jamais esquecerei. Sim, no dia dos namorados. No entanto não podia pensar em romantismos, sabia que o caminho era duro mas que ia vencer.

Na consulta com o médico-cirurgião, após contar o meu historial familiar, confrontei-o mesmo com esta questão – “Doutor, se eu fosse sua filha o que faria? Operava as duas ou só uma?”. O médico baixou a cabeça e respondeu – “Filipa, seriam as duas!”, tendo eu respondido “Então avance com o seu trabalho porque tenho muito que fazer!”. A minha mãe e o meu marido estavam ao meu lado e ambos olharam para mim ao perceber a minha aparente frieza…eu sabia que ali não podia ceder. Tinha de ser objectiva porque o importante era viver!

Nesta primeira consulta, o médico realizou logo os marcadores no peito e eu aproveitei a ocasião para brincar com ele tendo afirmado “Doutor, não quero nada de exageros. Tudo natural!”.

Tanto no dia da realização da biopsia como no decorrer das consultas antes da cirurgia bilateral, perguntava sempre como seria o meu Surf depois da cirurgia. Os médicos não podiam ser muito expansivos pois não sabiam como estava linfaticamente.

O Vasco (meu marido), que também faz surf há mais de 30 anos, engolia em seco cada vez que eu confrontava os médicos com a questão do surf e fazia um esforço para não chorar, pois ele tinha noção do que tudo aquilo implicava para mim.

Ao adormecer na cirurgia pensei nas ondas que tinha surfado nos Açores…deixei-me adormecer com as minhas memórias do meu amigo mar.

Quando recebi os resultados patológicos do que me tinha sido removido na cirurgia notei algum alívio no rosto do médico, como se tivesse realizado um salvamento em alto mar, pois não surgiram surpresas de maior e, linfaticamente, estava limpa!

Fiz 6 ciclos de quimioterapia e, após o 4º ciclo, o corpo começara a manifestar-se com mais dores. Foi nessa altura que recorri à ozonoterapia que me ajudou imenso nos efeitos secundários.

Terminei os tratamentos em finais de Julho de 2015 e, em Outubro desse mesmo ano, já estava a trabalhar e já ia treinar as minhas artes marciais…além de fazer fisioterapia todos os dias.

No Verão de 2015 ia até à Praia Grande nos finais de tarde dar um mergulho. Que bem que me sabia aquela água fria…sentia-me viva novamente!

Estive um ano sem surfar e pensava ”que saudades” pois faço bodyboard desde os meus 14 anos. Fiz competição e ainda hoje, apesar da minha figura delgada, gosto de me atirar a ondas grandes. Sinto o surf como parte de mim e vida sem surf não é vida!

No Verão de 2016 comecei a entrar novamente com a minha prancha, sentia algumas dores e fazia surfadas no máximo de uma hora pois as costas ainda estavam muito sensíveis. Cada vez que sentia dores pensava “antes surfar com dores do que não surfar!”.

Em Novembro de 2016 ainda apanhei outro susto. Tive de ser submetida a uma nova cirurgia para a remoção de um teratoma maduro entre o intestino e o ovário…os médicos comigo andam sempre em cima do acontecimento e ainda bem que assim é!

No decorrer do Inverno de 2017, além da prática de kempo comecei a nadar 1.500 metros todos os dias pois queria voltar a recuperar a minha plenitude física!

Fui induzida à menopausa com 36 anos devido ao facto do meu cancro ser hormonodependente, e isto para uma jovem mulher que nem mãe tinha conseguido ser imaginem…tinha de fazer desporto porque não me podia deixar vencer por esta nova condição física!

Neste Verão de 2017 já consegui surfar sem dores. Estava feliz a contar os progressos à minha médica oncologista quando ela perguntou “Filipa, já está a levar o Zolodex (injecção para induzir a menopausa) e a tomar o tamoxifeno há quanto tempo?” e eu respondi “Fez agora dois anos, doutora”. Ela observou-me e perguntou “Quer ser mãe?”. Os meus olhos brilharam e o coração por dentro palpitou. Pareciam magia, aquelas palavras…

Congelei 5 óvulos antes dos tratamentos mas pensava que só poderia ser mãe daqui a 3 anos e, subitamente, tudo está prestes a mudar!

Vou fazer parte de um ensaio clínico conjunto que conta com a colaboração de diversos peritos internacionais e com a Fundação Champalimaud.

O nome deste ensaio clínico não podia ser mais acertado: chama-se POSITIV! Tão apropriado depois de tudo o que passei!

Além do ensaio clínico ainda faço parte de um projeto de investigação na vertente genética com a equipa dos laboratórios Germano de Sousa, através dos doutores José Pereira Leal e Joana Vaz.

Gosto de ajudar na evolução da ciência, por isso os médicos sabem que podem sempre contar com a minha colaboração. Através do meu caso estamos a construir novas pontes para que no futuro outras mulheres possam beneficiar destas descobertas!

Agora vamos ver como tudo corre, mas espero um dia poder enviar-vos uma fotografia dos meus bebés a surfar comigo! Até lá só posso afirmar que o nosso cérebro comanda tudo e quando acreditas és CAPAZ! J

GET FUN BECAUSE LIFE IS TOO SHORT J GO FOR IT! J….

Um beijinho salgado recheado de brisa do mar!

Filipa Guimarães

At https://capazes.pt/

Venda online de bilhetes para o Andanças até Sexta

Andanças 17

A Associação PédeXumbo está a disponibilizar AQUI até à próxima sexta-feira dia 4 de Agosto a venda online de bilhetes diários para o Festival Andanças 2017.

Trata-se de uma “medida extraordinária” que visa “assegurar a ida ao Andanças’17” e uma “oportunidade para adquirir atempadamente o bilhete”. A organização assegura que “informará no site e redes sociais caso a lotação máxima seja atingida em qualquer dos dias”.

A Pé de Xumbo explica que “a edição do Andanças’17 – em redor da Vila tem uma lotação limitada a 1750 pessoas. Por esta razão, e por forma a não inviabilizar a aquisição dos passes de 4 dias, não foi disponibilizada nem estava prevista a venda online de bilhetes diários” tendo terminado a 30 de julho a fase de venda online para aquisição do passe de 4 dias, mas “já sabemos que ainda há bilhetes disponíveis”.

“Por outro lado, têm sido inúmeros os telefonemas do público a solicitar que possamos facilitar a compra dos bilhetes diários antecipadamente, no sentido de evitarem a possibilidade de se deslocarem ao local e não conseguirem adquirir bilhete pela lotação ter esgotado”, adiantam os organizadores.

At https://noticiasdecastelodevide.blogspot.pt/