Arquivo de etiquetas: Gastronomia

Município de Ponte Sor faz campanha de prevenção à Páscoa

PascoapostsPopulacao_PASCOA_D2

No Concelho de Ponte de Sor temos as mais belas planícies, espelho de água a perder de vista, tecnologia de ponta mas…temos também os nossos, os seus e de muitos…avós…uma maioria de população envelhecida!

Ajude-nos a protegê-los, não venha nesta Páscoa!

Prometemos recebê-lo, como tão bem sabemos fazer, na próxima!

Nunca, como nesta Páscoa deverá prevalecer o bem da família!

Por si e pela sua, estejam juntos, mas separados!

Nesta Páscoa fique em casa!

Não viaje para ter a certeza que a família se junta toda na próxima!

At http://www.cm-pontedesor.pt/

Comidas da matança em Portalegre, até 1 de Março, em 22 restaurantes

Matança cartaz_quinzena

Matança 1

Matança 2

A Câmara Municipal de Portalegre organiza, de 15 de fevereiro a 1 de março, mais uma quinzena gastronómica, desta vez dedicada às “Comidas da Matança”. Esta quinzena, em que o paladar está em primeiro lugar, tem também como objetivo fundamental a divulgação dos estabelecimentos de restauração do concelho.

A este desafio, responderam 22 restaurantes, onde os comensais provarão produtos que resultam de uma tradição milenar da região. A partir do porco, um dos animais fundamentais para a dieta alentejana, poderão ser degustadas entradas e pratos que fazem parte do nosso imaginário gastronómico, desde as Sopas de Cachola, as Febrinhas do Alguidar, as Migas de Batata com Entrecosto Frito, até à Carne de Porco à Alentejana, a Entremeada, a Miolada com Rim, as Bochechas, o Cachaço de Porco Assado, sem esquecer o Toucinho Frito, o Paio de Porco Preto, os Abanicos, os Lagartinhos, a Linguiça e a Farinheira, comidas que são parte única do nosso património imaterial, tão rico e fundamental para a economia, que há que preservar e divulgar.

A “Comidas da Matança” será a primeira quinzena gastronómica de 2020 organizada pelo Município de Portalegre, num ano em que se dará também grande destaque aos “Sabores da Páscoa & Doces Conventuais”, aos “Santos e Sardinhadas”, às “Comidas com Cebola” e aos magníficos “Vinhos de Portalegre”.

PS: Cada restaurante pratica o seu próprio preço por ementa e por prato servido.

Vinte e seis presidentes de câmara do PS contra subida do IVA nos bilhetes das touradas. Nisa não consta

Cultura

Municípios com atividades taurinas apelam ao Ministério da Cultura para que reverta subida da taxa na discussão na especialidade do Orçamento do Estado para 2020. E exigem “direito à cultura em igualdade de circunstâncias, independentemente dos gostos pessoais de cada um”.

A Seção de Municípios com Atividade Taurina da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), que junta 41 autarquias de vários distritos, incluindo 26 presididas por socialistas, lançou um apelo ao Ministério da Cultura para manter o IVA reduzido de seis por cento nos espetáculos tauromáquicos, ao contrário do que está disposto na proposta do Orçamento do Estado para 2020 que foi aprovada na generalidade. “Uma opção que se traduz numa medida discriminatória e que deve ser corrigida em sede de especialidade”, consideram esses autarcas.

“Para os municípios com atividade tauromáquica, a alteração da taxa de IVA representa uma medida meramente discricionária, cujo impacto fiscal será negativo, nas atividades económicas a montante de todo o espetáculo tauromáquico, sobretudo nas atividades ligadas ao mundo rural”, indica um comunicado em nome dos 41 municípios que foi emitido nesta segunda-feira pela Câmara de Coruche, cujo presidente, Francisco Silvestre Oliveira, eleito pelo PS, lidera a Seção de Municípios com Atividade Taurina da ANMP.

Além de Coruche, as outras autarquias socialistas que estão a reclamar ao Governo que não suba o IVA dos bilhetes das touradas para 23% são Almeirim, Cartaxo, Chamusca, Golegã, Salvaterra de Magos, Tomar e Vila Nova da Barquinha (do distrito de Santarém); Alandroal, Reguengos de Monsaraz e Viana do Alentejo (Évora); Barrancos, Beja e Moura (Beja), Alter do Chão, Elvas e Sousel (Portalegre); Alcochete e Montijo (Setúbal); Arruda dos Vinhos, Azambuja e Vila Franca de Xira (Lisboa); Angra do Heroísmo, Praia da Vitória e Santa Cruz da Graciosa (Açores); e Lagoa (Faro).

Entre as restantes 15 câmaras municipais, sete têm gestão comunista (Alcácer do Sal, Benavente, Cuba, Moita, Monforte, Setúbal e Sobral de Monte Agraço), três têm presidentes do PSD (Santarém, Pombal e Fronteira), outros três são geridas por independentes (Portalegre, Redondo e Calheta) e uma tem um presidente do CDS-PP (Velas).

A Seção de Municípios com Atividade Taurina da ANMP alega que “a liberdade de escolha de acesso a todo e qualquer espetáculo deve ter condições fiscais iguais, de forma a salvaguardar o princípio constitucional de igualdade e do direito à cultura para todos”. E garante que a preocupação “é refletida também pelas suas populações, que esperam que os seus autarcas sejam defensores da liberdade de escolha de acesso a atividades culturais e exijam dos seus representantes no Parlamento e no Governo que garantam o direito à cultura em igualdade de circunstâncias, independentemente dos gostos pessoais de cada um”.

At https://jornaleconomico.sapo.pt/