Arquivo de etiquetas: Emprego

Debate para levar o comboio à zona industrial de Portalegre

FB_IMG_1513192037231

“Os Verdes entregaram na Assembleia da República o Projeto de Resolução N.º 1182/XIII/3ª que visa a construção de um ramal ferroviário que leve o comboio da Linha do Leste até mais próximo da cidade de Portalegre. Este ramal permitirá ligar o Parque Industrial de Portalegre ao Porto de Sines, a Madrid e obviamente a Lisboa e Porto. Para aprofundar este assunto e mobilizar Portalegre para este objetivo que poderá dar um forte contributo para o desenvolvimento da cidade e do concelho, Os Verdes promovem um debate, na próxima quinta-feira.”

At Facebook

Anúncios

Centro de contacto que o anterior Governo fechou, reabriu em Castelo Branco

Call-Center-SS-inauguração-foto-hélder-henriques-700x325

A concretização do atendimento telefónico da Segurança Social desceu, segundo o Governo, de 90% para pouco mais de 60% após o encerramento, em 2012, do centro de contacto de Castelo Branco, que hoje foi oficialmente reaberto.

“Se a minha memória não me falha, a evolução quantitativa do atendimento da Segurança Social [após o encerramento] desceu de perto de 90% para pouco mais de 60% de chamadas atendidas. São números duros”, afirmou o ministro do Trabalha, da Solidariedade e da Segurança Social, Vieira da Silva.

O governante falava durante a inauguração do Centro de Contacto da Segurança Social, em Castelo Branco, que reabriu em instalações novas, após o encerramento pelo Governo PSD/CDS-PP.

“O risco de não ser atendido era quase de 50% ou, pelo menos, ficar longos e longos minutos à espera de ser atendido. Isto são números de facto chocantes do ponto de vista da responsabilidade de um serviço público e que justificava esta opção, de voltar a criar um instrumento eficaz de contacto com os cidadãos”, sustentou.

Vieira da Silva realçou que este novo investimento demonstra a vontade do Governo de inverter essa tendência de degradação do relacionamento da Segurança Social com os cidadãos. (…)

O presidente da Câmara de Castelo Branco, Luís Correia, explicou que o novo centro de contacto vai criar 150 novos postos de trabalho.

O autarca disse ainda que esta decisão de reabrir o serviço corrige o que o anterior Governo tinha feito: “uma enorme injustiça” para o concelho e para o interior, além de ter posto em causa “o princípio da honorabilidade do Estado”.

At https://beiranews.pt/

Crónica: “O cancro é um filho da puta”

Patricia Costa 1O cancro é um filho da puta. Aqui já o posso dizer que ninguém censura.

O cancro é aquele filho da puta que te deixa sem saber se te mata ou não, mas com a espada na cabeça.

O cancro é aquele filho da puta que, provavelmente te amputará, parcial ou totalmente de partes de ti.

O cancro é aquele filho da puta que, quer te mate ou não, te transformará, inchará, deixará careca, fará vómitos, cair as unhas e umas quantas outras merdas.

O cancro é aquele filho da puta que te deixa marcas para sempre, faça contigo o que fizer.

Ir ao IPO de Lisboa é levar um soco na boca. Fui visitar o meu avô. Mas já fui visitar a minha avó, que continua cá, depois de 2 operações. Já visitei uma amiga, de 20 anos, que não continua cá; outro amigo de 30 que também não… Não fui visitar mas estiveram cá amigas, conhecidos, amigos e familiares de outros.

O cancro é aquele filho da puta que não faz diferença de quem tu és. Rico. Pobre. Novo ou Velho. Criança ou não…

Já trabalhei, inclusive, no IPO de Coimbra. Devia, tal como Auschwitz ter um aviso antes da visita: não coma. para não visitar.

Velhotes que já eram abandonados ainda mais. Mulheres gastas pela doença, em sofrimento. Crianças que não sabem nem percebem o que se está a passar e tentam encontrar algo colorido no meio das batas brancas.

Sim, o cancro é aquele filho da puta que trata mal toda a gente. Mesmo a quem salva.

Escrevo isto para agradecer a todos os médicos, enfermeiros, auxiliares e qualquer pessoa que aqui trabalhe: OBRIGADA.

Não é para qualquer um. Especialmente se usas as batas com bonecos. Oh as batas com bonecos… aquelas batas que querem transformar o feio em menos feio, o horrível em menos horrível… as batas da oncologia pediátrica.

Quero agradecer a todos, em nome de todas as mães, mulheres, filhas, pessoas, a todos sem distinção.

Imagino que chorem. Imagino que exasperem entre o que é um trabalho, com horário e picar do ponto, e uma profissão que dilacera a alma.

Imagino que sofram. Mas talvez o vosso sorriso poupe algumas lágrimas ao mundo.

Já que o vosso trabalho poupa milhares.

Obrigada

Na esperança que, para filho da puta, filho da puta e meia.

Patrícia Costa

At http://cronicasdamaternidade.com

Primeiro comboio de mercadorias, de Mérida a Portugal, sai amanhã

Merida tren

Renfe y el operador portugués Medway pondrán mañana jueves, día 23, en circulación a primera hora el primer tren desde la terminal de mercancías de Mérida con destino a Bobadela (Portugal) y, de ahí, al puerto marítimo luso de Sines.

El tren, que llegó de Portugal el martes, se cargará hoy 1.190 toneladas de concentrado de tomate y de vidrio, ambos productos “íntegramente extremeños” destinados a la exportación, ha explicado Renfe.

La terminal de mercancías de Mérida tiene una extensión 21.000 metros cuadrados en los que cuenta con tres vías, una de 360 metros y dos de 260 metros, y el espacio se completa con un edificio de oficinas de 180 metros cuadrados.

Este primer servicio es fruto de la alianza logística formada por Renfe y el operador ferroviario luso Medway, que comenzó a operar el pasado 15 de noviembre en la terminal emeritense, y la previsión de tráfico es de dos trenes semanales, los martes y jueves, hacia Bobadela y al puerto de Sines (Portugal).

Así, se afirma que se está a trabajar para incluir una tercera circulación semanal y, en una fase posterior, establecer conexiones y nuevos tráficos desde Mérida hacia otras terminales y puertos españoles y portugueses.

Renfe utilizará una locomotora de la serie 333 para la tracción del tren y, una vez pasada la frontera, se sustituirá por la EURO4000 de Medway, ha asegurado.

No obstante, ambos operadores trabajan para que el desarrollo de la alianza permita en un futuro la entrada directa hasta la terminal.

Asimismo, se explica que “en un futuro” será posible transportar productos alimenticios, en contenedores refrigerados, hacia puertos “cuyo destino final sea el mercado internacional“.

Renfe ha recordado que Adif, propietaria de la terminal de Mérida, adjudicó a finales de septiembre su gestión “a riesgo y ventura” a la sociedad logística formada por los dos principales operadores ferroviarios de la península ibérica.

La adjudicación se realizó por un plazo de cinco años, con posibilidad de prórroga por otros dos, ha apuntado.

De este modo, se ha aseverado, el inicio de la actividad constata “la apuesta por el tejido industrial de la Comunidad extremeña”, cuyas empresas “verán incrementadas las opciones de distribución y exportación de la industria agroalimentaria extremeña”.

En este sentido, ha subrayado que los proveedores con los que se trabaja desde esta terminal son empresas auxiliares de la zona y la plantilla de la terminal de Mercancías está compuesta por trabajadores extremeños.

At http://www.elperiodicoextremadura.com/

“Lisboa” chega a Évora!

Evora Plaza

O centro comercial Évora Plaza abrirá amanhã quarta-feira dia 22 de Novembro ao público, sendo hoje feita uma abertura apenas a convidados, depois de ter tido a inauguração agendada para o passado dia 16 de novembro.

A empresa promotora atrasou a abertura para proceder a intervenções técnicas específicas que garantam o bom funcionamento do espaço comercial.

O centro comercial foi apresentado como Évora Forum, mas teve de mudar de designação por imposição de um concorrente que gere vários centros comerciais com a designação Forum.

Várias insígnias reconhecidas a novel nacional fazem parte do portefólio do Évora Plaza como são os casos da FNAC, Jumbo, Salsa, Perfumes & Companhia, Tiffosi, Multiópticas, Springfield, Women’Secret, Chimarrão e McDonald’s entre outras marcas presentes no centro comercial.

Em Badajoz, a Associação de Grandes Empresas de Distribución de Badajoz, alerta para a concorrência do novo centro comercial de Évora, depois do Bricomarché ter aberto recentemente em Elvas, para além dos já existentes que registam uma vantagem competitiva com a liberdade de horário e a abertura aos domingos e feriados.

Esta associação estima que a clientela portuguesa em Badajoz durante a semana se cifre no 20% do total de clientes, embora no El Faro aos sábados ultrapasse os 30%, podendo até representar em certos dias 40% dos clientes.

Em Badajoz as várias associações comerciais continuam a acreditar que as marcas Premium, tanto a nível nacional como internacional, são as que fazem a diferença, tanto para o cliente espanhol, como para a área de influência em Portugal.

O centro comercial Évora Plaza abrirá amanhã quarta-feira ao público.

At https://radionovaantena.com/

O dono do Tejo

Paulo Fernandes

Este cavalheiro na foto, Paulo Fernandes, consegue ser o dono de eucaliptais imensos (já sabemos a beleza que são os eucaliptos para Portugal), é o dono da Celtejo(Altri), que nos destrói todos os dias o rio Tejo em Vila Velha de Ródão e já agora é o dono do Correio da Manhã (Cofina).

Não tenho nenhuma admiração pelo Correio da Manhã mas gostava de ver quantas vezes vem no jornal o que se está a passar com a Celtejo.

Arlindo Consolado Marques o Correio da Manhã que anda sempre todo o lado já te entrevistou?

André Rodrigues Lopes

At https://www.facebook.com/

Central Termoeléctrica do Pego vai encerrar até 2030

Pego mw-860 (1)

O Governo comprometeu-se hoje a encerrar as duas centrais produtoras de eletricidade a carvão, em Sines e no Pego, até 2030, anunciou o ministro do Ambiente, em Bona, na Alemanha.

“Em 2030, não existirá produção de eletricidade em Portugal, a partir do carvão”, afirmou hoje João Matos Fernandes, à RTP.

O governante está em Bona, na Alemanha, onde decorre a conferência das Nações Unidas para as alterações climáticas, até sexta-feira.

“As centrais termoelétricas vão certamente ser encerradas em Portugal assim que tenhamos a capacidade de poder produzir energia a partir de fontes alternativas” sem sobressalto, disse o ministro do Ambiente.

João Matos Fernandes referiu-se à importância do compromisso que Portugal vai hoje assumir juntamente com outros países que também “estão na linha da frente” nesta matéria, como Canadá, Reino Unido, França Holanda ou Nova Zelândia.

Vinte e cinco países, estados e organizações de vários pontos do mundo juntaram-se para assinar uma declaração com o compromisso de esforçarem-se para acabar com as centrais carvão, já que estas são das maiores responsáveis pelas emissões de gases com efeito de estufa que agravam as alterações climáticas.

Em 2016, o primeiro-ministro já se tinha comprometido a ter Portugal neutro em carbono em 2050 o que implica uma redução acentuada das emissões.

Além daqueles países apontados pelo ministro do Ambiente, estão na declaração, a que a Lusa teve acesso, parceiros como Angola, Itália, México, mas também cidades como a norte-americana Washington, apesar da decisão do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de retirar o país do Acordo de Paris.

Enquanto as centrais termoeléctricas a carvão são consideradas uma das maiores fontes de dióxido de carbono que está a aquecer a atmosfera da Terra, países como a Indonésia, Vietnam e Estados Unidos estão a planear expandir a sua utilização nos próximos anos.

A declaração refere que os governos dos países parceiros se comprometem a retirar progressivamente as centrais a carvão das suas regiões, empresas e outras organizações não governamentais avançam o compromisso de deixar de usar carvão e todos se comprometem a apoiar fontes de energia limpas através as suas políticas e investimentos e a limitar o financiamento de centrais tradicionais sem captura e armazenamento de carbono.

O documento recorda que, atualmente, as centrais a carvão produzem quase 40% da eletricidade total, fazendo com que sejam o principal contribuirdor para as emissões de carbono.

“Os efeitos da poluição resultante da queima de carvão na saúde, incluindo doenças respiratórias e mortes prematuras, resultam em custos massivos tanto em termos humanos, como económicos”, refere a declaração, acrescentando que dados recentes referem que mais de 800 mil pessoas morreram por ano em todo o mundo, devido à poluição relacionada com a queima de carvão.

At http://www.mediotejo.net/

Câmara de Nisa reage à mortandade do Tejo a 13/11

Nota de Imprensa n.º 29/2017, de 13/11/2017

O Municipio de Nisa exige medidas de Combate à Poluição do Rio Tejo

O Municipio de Nisa informa que enviou, no início do mês de Novembro, um ofício dirigido ao Ministro do Ambiente, Eng.º João Pedro Matos Fernandes, alertando para a necessidade de se proceder à construção de uma solução válida, duradoura e sustentável para elevar o Rio Tejo, a RIO VIVO e VIVIDO! E exigindo medidas efetivas de combate à Poluição do Rio Tejo.

Houve no entanto, por parte do Municipio, ações de recolha de peixes mortos, junto à Central Hidroelectrica da Velada (São Matias).

Como referimos nessa missiva dirigida ao Srº Ministro do Ambiente, reafirmamos que o concelho de Nisa segue políticas Municipais, bem definidas e esplanadas no Plano Diretor Municipal (PDM), estrategicamente assente num forte pendor de sustentabilidade ambiental, predominantemente na preservação e requalificação dos recursos hídricos e hidrominerais, e na valorização do território e das suas gentes.

“Face ao exposto e pela importância deste relevante recurso hídrico para o desenvolvimento sustentável do nosso concelho, o mesmo não se coaduna com os mais recentes focos de elevada carga de poluição – crime ambiental (previsto no código Penal artº 278 e 279), que está a afetar o Rio Tejo, principalmente a jusante de Vila Velha de Rodão, a qual tem provocado uma mortandade elevada de peixes (achigã, carpa, barbo, boga, lagostins entre outros), exterminando por completo todo o ecossistema do leito do rio, principalmente neste percurso, influenciando decisivamente toda uma comunidade e o seu modo de vida.”

O Municipio de Nisa, tudo tem feito no sentido de identificar, denunciar e encontrar as soluções necessárias para a resolução deste contínuo e persistente crime ambiental, provocado por agentes poluidores e prevaricadores, que a persistir desta forma e com esta intensidade, influenciarão decisivamente os projetos de toda a nossa estratégia municipal que assenta em dinâmicas de sustentabilidade, aliadas a uma forte valorização do território e das comunidades ribeirinhas, nomeadamente as freguesias de Santana, São Matias (Velada) e Amieira do Tejo.

Exigimos e defendemos, junto das autoridades competentes, medidas realmente efetivas e duradouras de combate à grave poluição que afeta o Rio Tejo, porque a sustentabilidade do nosso território e das comunidades que nele habitam, só se coaduna com um rio vivido e com vida, em toda a sua plenitude.

At http://www.cm-nisa.pt/