Arquivo de etiquetas: História

Portalegre cidade, agora, também em festa: a capital

Portalegre Festa 32158989_574139126285393_1290163138691334144_n

Dia 18 de maio – sexta-feira

AVENIDA GEORGE ROBINSON
18h00 – Inauguração das Festas

IGREJA DO CALVÁRIO
19h00 – Inauguração da Exposição coletiva de pintura a favor do restauro da Igreja do Calvário, assim como das peças de arte sacra existentes no seu interior (patente ao público até 30 de junho das 14h00 às 19h00)

PALCO (Avenida George Robinson)
21h00 – Concerto CAEP VOICES EM FESTA
22h30 – Espetáculo Musical JORGE GUERREIRO

ESTÁDIO EDUARDO SOUSA LIMA (partida)
24h00 – 7º UTSM – Ultra-Trail de São Mamede – Atletismo Clube de Portalegre

Gastronomia – No Mercado Municipal, Restaurantes locais

Dia 19 de maio – sábado

ZONA INDUSTRIAL
08h30 – I Troféu de Tiro Cidade de Portalegre – CCD Ases do Pedal

MERCADO MUNICIPAL
09h00 – V Encontro de Colecionismo Cidade de Portalegre

PAVILHÃO MUNICIPAL
09h00 – Torneio Futsal Feminino São Cristóvão – Centro Popular dos Trabalhadores de São Cristóvão

JARDIM DA CORREDOURA
11h00 – Manhã Dançante – Escola Silvina Candeias – Aberto à participação de toda a população

MUSEU DA TAPEÇARIA DE PORTALEGRE – GUY FINO (AUDITÓRIO)
14h30 – Apresentação do Livro “A Estrada do Meu Outono” de João da Graça Silva

GALERIA DE EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS DO CASTELO DE PORTALEGRE
16h00 – Inauguração da Exposição “Jovens Artistas de Portalegre”

PRAÇA DE TOUROS JOSÉ ELIAS MARTINS
17h00 – Grande Corrida de Touros das Festas da Cidade (bilhetes à venda nos locais habituais)

PALCO (Avenida George Robinson)
21h30 – SÓ XUTOS Tributo ao Xutos e Pontapés
23h00 – Espetáculo Musical MICAELA

Gastronomia – No Mercado Municipal, Restaurantes locais

Dia 20 de maio – domingo

KARTÓDROMO – SEDE DO GRUPO MOTARD NOVO MILENIO (PARTIDA)
08h30 – 1º Moto Rally Paper GM Novo Milénio

PAVILHÃO MUNICIPAL
09h00 – Torneio de Andebol – Ginásio Andebol de Portalegre

ESTÁDIO MUNICIPAL EDUARDO SOUSA LIMA (PARTIDA)
09h00 – 3º Passeio Pedestre e Escalada pela Serra da Penha – Clube Escalada Norte Alentejano

CAMPO DE FUTEBOL DE VALE DE CAVALOS
09h00 – Jogos Tradicionais (malha) Vale de Cavalos

CAMPO DE FUTEBOL DE URRA
10h00 e 14h00 – V Festival Hípico C.E.F.V./J.F. de Urra

MUSEU DA TAPEÇARIA DE PORTALEGRE – GUY FINO
16h00 – Sessão de Poesia “PORTALEGRE, é um ENCANTO” – Grupo “Os Amigos da Poesia”

PALCO (Avenida George Robinson)
16h30 – Desfile de vestidos e calções “DRESS A GIRL AROUND THE WORLD”

AVENIDA GEORGE ROBINSON
17h30 – Desfile de carroças engalanadas
Percurso – Avenida George Robinson/ Alameda do Jardim da Corredoura/ Largo dos Paços do Concelho / Parque Miguel Bombarda/ Avenida da Liberdade /Jardim da Avenida da Liberdade/ Avenida Movimento das Forças Armadas/ Rotunda do Navio/Rua Alexandre Herculano/Avenida da Liberdade/Rossio
Entidades responsáveis: EVETAL – Eventos Lda. Colaboração: Associação Romeiros de Vila Boim e Juntas de Freguesia

KARTÓDROMO (PARTIDA)
21H00 – Desfile dos Archotes – GM Novo Milénio

PALCO (Avenida George Robinson)
21h30 – Espetáculo “DANÇA COM A CIDADE” – Escola Silvina Candeias
23h00 – Miss Portuguesa 2018 – Eleição da representante do Distrito de Portalegre

Gastronomia – No Mercado Municipal, Restaurantes locais

Dia 21 de maio – segunda-feira

PALCO (Avenida George Robinson)
22h00 – Grande Noite de Fados – Grupo Desportivo e Cultural do Município de Portalegre

Gastronomia – No Mercado Municipal, Restaurantes locais

Dia 22 de maio – terça-feira

PALCO (Avenida George Robinson)
22h30 – “FILMES EM CONCERTO” – Sociedade Musical Euterpe
23h30- Baile com DUO M & O (Mana e Ourives)

Gastronomia – No Mercado Municipal, Restaurantes locais

Dia 23 de maio – quarta-feira

PAÇOS DO CONCELHO
09h00 – Hastear da Bandeira com honras militares por uma Companhia de Guardas Provisórios do Centro de Formação de Portalegre da Guarda Nacional Republicana. Participação da Sociedade Musical Euterpe, Sociedade Recreativa e Musical Alegretense e Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Portalegre

CATEDRAL DE PORTALEGRE
10h00 – Missa Solene comemorativa dos 468 anos de elevação de Portalegre a Cidade com a participação dos Grupos Corais da Cidade

RUA DA MISERICÓRDIA
11h00 – Inauguração das Habitações Sociais sitas na Rua da Misericórdia, nº 21

RUA 5 DE OUTUBRO
11h30 – Inauguração das Habitações Sociais sitas na Rua 5 de Outubro, nº 88

PAÇOS DO CONCELHO
14h30 – Sessão Solene comemorativa dos 468 anos da elevação de Portalegre a Cidade
Momento musical pelo Grupo Coral da Delegação de Portalegre da Associação de Solidariedade Social dos Professores

16h00 – DESFILE DAS MAIAS
Partindo da Praça da República, descem a Rua do Comércio e Rua 5 de outubro e concentram-se no Centro de Congressos da Câmara Municipal de Portalegre

PALCO (Avenida George Robinson)
17h00 – Espetáculo “NÓS E A VOZ” – Coro Infantil dos Assentos com a participação da Ginástica de Grupo da CerciPortalegre

GALERIA DE S. SEBASTIÃO
17h30 – Inauguração da Exposição “Reflorestar Portalegre” de Jorge Curval
(Galeria de S. Sebastião, Castelo, Convento de S. Francisco, Jardim da Avenida da Liberdade, Mosteiro de S. Bernardo, Museu da Tapeçaria de Portalegre Guy Fino e Praça da República)

PALCO (Avenida George Robinson)
21h30 – Concerto pela Orquestra Ligeira do Exército
24h00 – Espetáculo de Pirotecnia

Gastronomia – No Mercado Municipal, Restaurantes locais

At https://www.facebook.com/events

Anúncios

Artigo de opinião: “A corrupção e suas variedades”

Antonio Barreto mw-860 (1)O mais provável é que o PS esteja a caminho do fim. Não por causa da adesão ao mercado nem pelo seu entusiasmo com a frente de esquerda. Mas sim por causa da corrupção, que o PS nunca condenou claramente, sobretudo a sua e a dos seus amigos. O caso Sócrates, a que se acrescentaram tantos outros, está agora a mostrar contornos difíceis de apagar da memória. O caso PT, bem anterior, já tinha deixado feridas e cicatrizes profundas. Os casos Pinho e EDP, que ainda agora vão no adro, revelaram-se de tal maneira letais que será difícil convencer quem quer que seja que membros deste governo não tiveram nada que ver com o governo Sócrates, nesta que é talvez a maior derrota da democracia desde há mais de 40 anos.

O PS não está a tratar da “espuma dos dias” nem de pequenas circunstâncias, como sejam o pagamento a dobrar de ajudas de custo e outras “bagatelas”. O PS está a ocupar-se de uma questão muito séria: a do seu envolvimento em processos de corrupção política de grande escala e a do seu silêncio diante da actuação dos seus dirigentes. Com a corrupção, o PS está a tratar da sua natureza contemporânea, não apenas de uma circunstância excepcional.

O PS nunca foi muito claro na sua atitude perante a corrupção. Condenou a dos seus adversários, fez o possível por disfarçar a sua. Ou garantir que eram apenas casos de justiça. Pior: desculpou a corrupção com uma ideologia barata, a da ética republicana! O que isso quer dizer é estranho. Como se houvesse uma ética monárquica. E uma ética socialista. Até uma ética fascista! Está a ver-se onde isto vai parar. Mas a ideia leva-nos a admitir que há várias espécies de ética e de corrupção.

Um dos problemas mais interessantes da corrupção é o de que os seus responsáveis nunca acham que são corruptos. Julgam que estão a comportar-se com direiteza e valores inatacáveis. Isto resulta de uma concepção própria de corrupção e de ética.

A ética aristocrática faz que certas pessoas pensem honestamente que tudo lhes é devido, que estão acima de todos e de qualquer suspeita, que são charneiras da pátria e depositárias do destino nacional! Aqueles gestos e valores que muitos consideram imorais são, para as classes altas, antigas e modernas, direitos adquiridos. Corre-lhes no sangue uma espécie de moralidade pública indelével que nem sequer é preciso provar. A sua legitimidade é a do seu sangue.

A ética burguesa faz que pessoas, geralmente empresários e gestores, acreditem cegamente no mercado, considerem que merecem uma recompensa pelo que fazem, pelo emprego que criam, pelas exportações que promovem e pelas obras que fazem para o Estado. Por isso, querem fazer o que lhes apetece. Julgam-se agentes e instrumentos de bem-estar da população. Zelam pelos direitos das empresas e acreditam em que tudo o que fazem é para criar riqueza. Por isso querem ser recompensados. O que é bom para eles é bom para o país. A sua legitimidade é a da sua obra.

A ética republicana é a que remete os valores para a cidadania, rejeita privilégios de nome, fortuna e condição, mas atribui méritos desmedidos ao contributo para a democracia partidária. Tudo o que for feito a favor dos partidos no poder local, nos governos e em respeito pelo eleitorado, faz parte dessa ética republicana. Que permite a corrupção do dia-a-dia, os empregos para os amigos, as comissões para os partidos, o financiamento público das campanhas eleitorais, as leis feitas por medida, os descontos e os favores… A sua legitimidade é a do seu eleitorado.

Finalmente, a ética revolucionária, que critica todas as anteriores, que estipula como valores supremos a classe trabalhadora e o papel do seu partido de vanguarda. Tudo o que for feito, incluindo roubo, ocupação, assalto, despedimento, saneamento e favores, a bem da classe e do partido, cabe na moral trabalhadora. Com uma condição: a de nunca ser individual! Terá sempre de ser colectivista, do partido, do sindicato… É essa a razão pela qual há tão poucos comunistas envolvidos em casos de corrupção: é o próprio partido que assegura as mais eficazes funções de polícia de costumes. Proventos individuais no movimento comunista, nunca! A sua legitimidade é a da luta de classes e das relações de força.

António Barreto

At https://www.dn.pt

Estado despreocupa-se com espólio maçónico

Museu 10653865_326100727569109_3505277734129150919_n

O Museu da República e Maçonaria, em Pedrógão Grande, encerra ao público em geral no final do ano, mas em 2019 o proprietário permitirá ainda a visita de membros das diferentes obediências maçónicas.

O dono e fundador do museu particular, Aires Henriques, disse hoje à agência Lusa que “a decisão de fechar está tomada”, independentemente do destino que venha a ser dado ao acervo.

Nos últimos meses, Aires Henriques, de 70 anos, efetuou diligências junto do Ministério da Cultura, Câmara de Pedrógão Grande e Grande Oriente Lusitano (GOL), com o propósito de dar continuidade ao projeto museológico e garantir a sua fruição pública.

Ao longo de mais de 30 anos, Aires Henriques reuniu peças e documentos de vários períodos da História de Portugal e de outros países, expostas em edifícios que possui na aldeia de Troviscais, naquele município do distrito de Leiria. “Preciso de encontrar uma solução e um futuro condigno para que a coleção não desapareça”, adiantou. Este objetivo, contudo, ainda não está assegurado, após contactos com aquelas entidades.

Entretanto, está previsto que “parte deste acervo pedroguense será exibida” em Condeixa-a-Nova, este ano, no âmbito das comemorações do 108.º aniversário da revolução republicana do 5 de Outubro, promovidas pela Câmara local.

O Museu da República e Maçonaria começou a funcionar em 2010, coincidindo com o centenário da implantação da República em Portugal, e foi inaugurado oficialmente em 2012, na presença de Fernando Lima, grão-mestre do GOL – Maçonaria Portuguesa, com um programa que incluiu a assinatura de um protocolo de colaboração entre as duas entidades.

Aires Henriques crê que o GOL e o município de Pedrógão Grande “poderão vir a colaborar na manutenção e promoção dos vários acervos disponíveis”.

Também a Câmara de Condeixa-a-Nova, presidida pelo socialista Nuno Moita, “vem manifestando interesse” num eventual acolhimento das coleções, que constituem “um dos três raros museus no seu género em toda a Península Ibérica”, incluindo os de Lisboa e Salamanca (Espanha).

Em março, o Departamento de Museus, Conservação e Credenciação da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) considerou que “os intuitos de salvaguardar e preservar de forma sustentada” as coleções do museu dos Troviscais, “bem como de garantir a sua gestão integrada num serviço público e museológico, poderão eventualmente ser alcançados” através de parcerias com a Câmara de Pedrógão Grande ou com o Museu Maçónico Português, propriedade do GOL, em Lisboa.

Agora “em fase de negociação” com a instituição maçónica liderada por Fernando Lima, Aires Henriques espera também uma resposta da autarquia a que preside o independente Valdemar Alves, eleito pelo PS nas eleições de outubro de 2017, no qual tem encontrado “alguma recetividade” para solucionar o problema, mas nos dois casos ainda sem resultados concretos.

Associado ao empreendimento de turismo rural Villa Isaura, o Museu da República e Maçonaria engloba também um núcleo de peças relacionadas com os períodos do Estado Novo (1933-1974), Guerra Civil de Espanha (1931-1939) e II Guerra Mundial (1939-1945).

Em março, na sequência do relatório concebido por aquele departamento da DGPC, Aires Henriques escreveu mais uma vez ao ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, a quem já tinha exposto o problema do museu.

“Em face da minha idade (…), penso que o bom senso me aconselha a colocar à venda os respetivos acervos, entre os quais algumas peças únicas” que já percorreram, designadamente, o Museu da Presidência da República, o Panteão Nacional, a Biblioteca-Museu República e Resistência e o Museu José Malhoa, em Lisboa e Caldas da Rainha, além de exposições em diversas localidades.

Na carta, a que a Lusa teve acesso, o investigador pede a Luís Filipe Castro Mendes ajuda para “divulgar entre as estruturas museológicas afetas ao Estado” a sua disponibilidade para vender ou ceder os espólios. “Por esta via, não alimentarei a especulação mercantil nem as caves escuras das várias instituições que no país guardam idênticos tesouros expressivos do viver das nossas gentes e da nossa história pátria”, afirma.

A agência Lusa tentou obter a posição do presidente da Câmara de Pedrógão Grande sobre o assunto, mas as tentativas revelaram-se infrutíferas.

At https://www.dn.pt

Karl Marx nasceu há 200 anos na Alemanha

Karl Marx 30411913_1655951267819288_10406838902194176_n

Karl Marx 7186

Cidade de Trier homenageia Karl Marx nos 200 anos do seu nascimento

A cidade homenageou a figura do pensador e revolucionário alemão erguendo-lhe uma estátua descerrada ontem, dia 5 de Maio de 2018, pelo 200.º aniversário do seu nascimento. Cerca de 200 convidados de honra assistiram à cerimónia, incluindo o Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, a chefe de governo do estado da Renânia-Palatinado, Malu Dreyer (SPD), a líder do SPD, Andrea Nahles e o vice-ministro do Gabinete de Informação do Conselho de Estado da República Popular da China (RPC), Guo Weimin.

At https://www.abrilabril.pt