Arquivo de etiquetas: Juventude

Summer CEmp regressa ao Alentejo

Summer Cemp f3707a777d3a538ac4c5a3ec97b717ce_XL

Quando, a 1 de Março de 2017, o Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, lançou o Livro Branco Sobre o Futuro da Europa para indicar cenários possíveis para o futuro da União, desafiou os 511 milhões de europeus a refletir sobre estas possibilidades e a escolher a Europa que querem amanhã.

Um debate honesto e consciente sobre a Europa só é possível através da consciência e do conhecimento do que é a União Europeia e do que é que ela representa para nós, que influência tem no nosso dia-a-dia.Debater com esta extensão implica chegar às pessoas que têm vontade de falar da Europa, implica ir às zonas geograficamente periféricas onde tantas vezes a Europa parece não chegar.

Foi por isso que, em 2017, a Comissão Europeia em Portugal desafiou 40 jovens universitários e 40 oradores de mão cheia para debaterem a Europa durante quatro dias, em Monsanto. Foi também por isso que não desistimos da ideia e, em 2018, levámos mais cinco dezenas de jovens a Marvão.

Sofia Colares Alves

O Summer CEmp é um seminário intensivo e interativo com formatos práticos de aprendizagem como conversas improváveis e exercícios práticos para entender melhor o projeto Europeu. Nasce da necessidade de envolver os futuros líderes de opinião no debate sobre a União Europeia. Em quatro dias, um grupo diverso de 40 jovens universitários dialoga direta e informalmente com um leque de protagonistas da atualidade política e mediática sobre os possíveis cenários de futuro da Europa. É uma iniciativa da Representação da Comissão Europeia em Portugal e organizado com o apoio da Câmara Municipal de Monsaraz.

Quando? A 3ª edição do Summer CEmp acontece de 27 a 30 de agosto de 2019.

Onde? Em Monsaraz, distrito de Évora. Num cenário rural e inspirador, o debate sobre a União Europeia faz-se com uma forte interação com a população local e com o património cultural e natural.

Agenda: O eixo central do programa é composto por conversas inesperadas com cerca de 40 oradores de alto nível – políticos, jornalistas, empresários, académicos, atletas e artistas – e uma variedade de atividades práticas aproveitando os recursos do grupo e da vila.

Para quem? Para 40 estudantes universitários portugueses, entre os 18 e os 30 anos, de todos os pontos do País. Dando-se prioridade a formação na área das relações internacionais, ciência política, comunicação e jornalismo, podem candidatar-se estudantes de qualquer curso. Será selecionado um grupo heterogéneo de jovens dinâmicos que têm em comum uma grande motivação para discutir a Europa. A participação dos jovens é gratuita e a seleção é feita por concurso, com base no seu perfil e motivação.

At https://ec.europa.eu/portugal/

Transportes e preços para o Festival do Crato

Crato SEU-Jorge-Crato-5

RODOVIÁRIA DO ALENTEJO
27 A 31 DE AGOSTO 2019

PARA FESTIVALEIROS QUE VENHAM DE OUTRAS LOCALIDADES:
Se vem do Porto, de Lisboa, do Algarve ou de outro ponto do país consulte o site da Rede Expresso e faça o seu itinerário (https://www.rede-expressos.pt/tickets)
Reforço de Autocarros:
Portalegre > Crato – 24 a 26 de agosto
Crato > Portalegre – 1 de setembro, às 14h30, junto ao Camping para ligação à Rede Expresso com destino a outras localidades do país.

Circuito 1 – Partida de Tolosa: 2€ / cada viagem
Partida de Gáfete: 1€ / cada viagem
Tolosa / Gáfete / Vale do Peso / Flor da Rosa / Crato e regresso
Partida de Tolosa: 18h30 – 21h00 – 22h00 – 1h00 – 4h00
Partida do Crato: 20h30 – 21h30 – 0h30 – 3h00 – 4h30 – 6h30

Circuito 2 – 2€ / cada viagem
Alagoa / Fortios / Portalegre / Crato e regresso
Partida de Portalegre: 18h30 – 21h00 – 22h00 – 23h00 – 1h00 – 4h00
Partida do Crato: 20h30 – 21h30 – 22h30 – 0h30 – 3h00 – 4h30 – 6h30

Circuito 3 – Partida de Ponte de Sôr: 3€ / cada viagem
Partida de Seda: 2€ / cada viagem
Ponte de Sôr / Chança / Cunheira / Seda / Crato e regresso
Partida de Ponte de Sôr: 18h30 – 20h30 – 1h30 – 4h30
Partida do Crato: 19h30 – 0h30 – 0h30 – 4h30 – 6h30

Circuito 4 – 1€ / cada viagem
Pisão/ Crato e regresso
Partida de Pisão: 19h15 – 20h15 – 23h45
Partida do Crato: 19h30 – 23h30 – 2h00

Circuito 5 – 2€ / cada viagem
Nisa / Alpalhão / Crato e regresso
Partida de Nisa: 19h00 – 20h30 – 21h30 – 1h00 – 4h00
Partida do Crato: 19h30 – 21h00 – 0h30 – 3h00 – 4h30 – 6h30

Circuito 6 – 2€ / cada viagem
Avis / Fronteira / Cabeço de Vide / Alter do Chão / Crato e
regresso
Partida de Avis: 18h30 – 20h00
Partida de Fronteira: 19h00 – 20h30 – 21h30 – 1h00 – 4h00
Partida do Crato: 19h30 – 21h00 – 0h30 – 4h30 – 6h30
(só os horários das 4h30 (de3ªfeira a 5ªfeira) e 6h30 (6ªfeira e sábado) seguem viagem até Avis)

Circuito 7 – Partida de Gavião: 2€ / cada viagem
Partida de Monte da Pedra: 1€ / cada viagem
Gavião/ Comenda/ Monte da Pedra / Aldeia da Mata / Crato e regresso
Partida de Gavião: 19h00 – 20h30 – 22h00 – 1h00 – 4h00
Partida do Crato: 19h45 – 21h15 – 0h30 – 3h00 – 4h30 – 6h30

Circuito 8 – 2€ / cada viagem
Portagem / Castelo Vide / Alpalhão / Crato e regresso
Partida de Portagem: 19h00 – 20h30 – 22h00 – 1h00 – 4h00
Partida do Crato: 19h45 – 21h15 – 0h30 – 4h30 – 6h30

Local de embarque:
– Na paragem habitual da rodoviária em cada localidade
– No Crato junto ao Mercado Municipal

Os horários das 4h00 (partida das localidades) e o das 6h30 (partida do Crato) só se efectuam na sexta-feira e sábado.

PREÇÁRIO FESTIVAL DO CRATO

27, 28 e 29 de Agosto

27, 28 e 29 de Agosto

Bilhete Diário
30 e 31 de Agosto

30 e 31 de Agosto

Bilhete Diário
Passe

Passe

Passe de 5 Dias
Passe

Passe

Passe 5 dias c/ acesso a Camping Ocasional

Opinião: “Que tal criar, nos arredores de Santa Comba, a ‘Cidade de Ontem’?”

Francisco Seixas da Costa 44557871_10215435787621374_8204709156926521344_n“Ao ler que a Santos Júnior, polícia-mor de um dos períodos mais sinistros da ditadura, foi atribuído o nome de uma rua em Coja (se fosse em Corja, não me admirava), dei comigo a pensar se, de facto, não seria justo, para cultivo de uma certa memória afetiva, ser criada, algures no nosso país, uma cidade que tivesse o nome de Ontem. Para aí irem viver poderiam ser convidados, em prioridade, todos quantos, nas redes sociais e nas caixas de comentários dos sites e jornais, permanecem fiéis a um saudoso passado em que, pelos vistos, se sentiam tão felizes. Mas muitos outros seriam elegíveis, como se intui em colunas de jornais e até em certas tribunas políticas residuais. Em Ontem, o Diário da Manhã e o Novidades dariam, ao alvorecer, as notícias a que os seus cidadãos tinham direito – mas nem mais uma, ou, então, “factos alternativos”, como fazem as relações públicas de Trump! E iríamos vê-los felizes, cara ao sol, sentados na esplanada do Café do Aljube, com vistas para a Praça do Tarrafal (no centro da praça, em dias de calor haveria um lugar a que chamariam “frigideira”), à qual se acederia pela grande Avenida Oliveira Salazar, de sentido único, que, lá bem ao fundo, conduzia ao Beco Américo Tomaz (com Z). No Centro Social Silva Pais, não muito distante, ouvir-se-ia a Emissora Nacional que os “senhores óvintes” quisessem, obrigatoriamente abrindo com “Uma Casa Portuguesa” (“a alegria da pobreza está nesta grande riqueza de dar e ficar contente”). Na Alameda Barbieri Cardoso, ficaria a Livraria Lápis Azul, que só venderia livros rigorosamente conformes aos cânones do antigo e benquisto regime, sendo de todo excluídos aqueles em que as palavras “liberdade”, “democracia” e “povo” pudessem surgir. Em Ontem, Pide seria o nome de uma associação de beneficência, com o Centro de Artes “Estátua”, recuperando a tradição de uma instituição com uma benéfica ação que tão deturpada tem sido – embora, felizmente, já haja por estes dias um grupo dedicado de rapazes da historiografia que começa a tentar mudar tais erróneas perceções. O fotógrafo oficial da cidade de Ontem, um tal Rosa Casaco, faria os retratos à maneira, de preferência um “photomathon” com frente e duas laterais, numa moda estética lamentavelmente caída em desuso. E, por falar em “casaco”, iria ser com certeza um sucesso o alfaite o local, o conhecido “Vira Casacas”, que tanto trabalho tinha tido no 25 de abril.

Salazar 68626491_10217672307652977_6193962973980000256_n

Perguntará o leitor: E a Justiça? E a Saúde? Quem assistiria nesses domínios os habitantes de Ontem? A Justiça, ora essa!, estaria a cargo dessas vestais do direito que eram os juízes dos Tribunais Plenários! E a Saúde, essa não poderia ficar em melhores mãos do que de esses dignos seguidores de Hipócrates que eram os médicos do Tarrafal, de Peniche e de Caxias. Mas não se fala da Educação? Não, porque em Ontem ela não seria necessária, orgulhosa do analfabetismo sadio que outrora imperava. E, sejamos óbvios, os que fossem educados só por engano é que iram viver para Ontem. Resta a ordem pública? Nem por isso! Bastava ficar por lá o capitão Maltez (nunca percebi porque nunca foi promovido, ou, se calhar, foi, depois do 25 de abril e ninguém nos avisou) e nem uma agulha bulia na serena melancolia da paz dos cemitérios. Ah! E, em Ontem, haveria também uma Colónia de Férias (então eles passavam lá sem ter uma coloniazita…). Pela certa, finalmente, a cidade não enjeitaria uma geminação com Santa Comba ou com a angolana São Nicolau, porque há memórias que calam fundo – e calar é algo que Ontem saberia sempre fazer. Um ponto muito importante seria permitir que os cidadãos pudessem sair de Ontem sempre que lhes apetecesse. Não há, porém, a certeza de que isso, necessariamente, lhes agradasse, porque a liberdade é, no fundo, aquilo que eles menos apreciam. Enfim, Ontem é, talvez, o futuro que alguns desejariam. Por que não fazer-lhes a vontade? Será que para a criação desta urbe da saudade se arranja, finalmente, uma maioria decente na Assembleia da República?.”

(Reprodução de um post antigo. O futuro, quem sabe?, pode afinal ser Ontem)

Francisco Seixas da Costa

At https://www.facebook.com/

Afinal o Tejo existe: Festival de Sopas de Peixe e Grande Prémio F2 de Motonáutica… em Vila Velha de Ródão

Vila Velha pop-up_655x927

Dia 07 | Sábado

08h30 | Abertura do Festival com Rota Temática pela Vila: Encenações as gentes do Rio

12h00 | Adufeiras de Idanha-a-Nova (Campo de Feiras _ Palco Beira Baixa Cultural) *

15h00 | Atuação Bandas Filarmónicas (Campo de Feiras _ Palco Beira Baixa Cultural) *

15h30 às 17h00 | Grande Prémio F2 – Motonáutica: Treinos oficiais e qualificação (Cais de Ródão)

18h00 | Grande Prémio F2 – Motonáutica _ Provas de eliminação (Cais de Ródão)

19h30 | Cantares ao Desafio (Campo de Feiras _ Palco Beira Baixa Cultural) *

23h00 | Gisela João (Campo de Feiras _ Palco principal)

00h00 | Festa anos 80 (Campo de Feiras)

Dia 08 | Domingo

10h00 às 10h45 | Grande Prémio F2 – Motonáutica: Prova de Qualificação Q3 (Cais de Ródão)

12h00 | Grande Prémio F2 – Motonáutica: Corrida de Repescagem (Cais de Ródão)

13h00 | Animação Itinerante (Campo de Feiras)

15h30 | Grande Prémio F2 – Motonáutica: Volta de apresentação (Cais de Ródão)

15h45 | Grande Prémio F2 – Motonáutica: Grande Prémio de Vila Velha de Ródão (Cais de Ródão)

18h30 | Atelier de Culinária: As Sopas de Peixe Ontem e Hoje (Campo de Feiras_ Beira Baixa Cultural) *

19h30| Bike Tour – Sensibilização e Reflexão dos Rodenses para os Riscos das Alterações Climáticas (sujeito a pré-inscrição) (Cais de Ródão) **

22h30 | Hi-Fi Grupo Musical (Palco principal)

Atividades constantes nos 2 dias do festival
Restauração | Mercadinho do Pão | Animação Infantil |Animação de Rua | Atelier Culinário

* Evento realizado no âmbito do projeto BEIRA BAIXA CULTURAL, cofinanciado pelo Centro2020, Portugal2020 e União Europeia, através do FEDER (Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional)

** Evento realizado no âmbito do projeto “Sensibilização dos Rodenses para os Risco das Alterações climáticas”, cofinanciado pelo POSEUR, Portugal 2020 e União Europeia, através do FC (Fundo de Coesão)

Nisa em Festa 2019 leva a recomendação da CDU

Uma-rosa-negra-têm-as-vossas-avós 1

NISA EM FESTA – RECOMENDAÇÃO

Na reunião da Câmara Municipal de Nisa, de dia 20 de agosto, a CDU apresentou vários contributos, que muito dignificarão o evento “Nisa em Festa”, em edições futuras:

• considerando que o encerramento do espaço central da vila, durante quatro dias, condicionou enormemente a circulação e o acesso aos diferentes serviços instalados na área, recomenda-se que sejam revistas as condições de circulação e de segurança;
• considerando a riqueza e diversidade de grupos e associações culturais do Concelho, sugere-se que estes tenham participação ativa na animação do evento;
• considerando o destaque que a nossa gastronomia merece, recomenda-se que o fornecimento de refeições seja assegurado por representantes da restauração local;
• considerando ainda que um dos objetivos do evento é o apoio às associações e coletividades do concelho, será de repensar a existência de uma zona de fast food, já que entra em concorrência direta com as mesmas.

Nisa, 20 de agosto de 2019
A Coligação Democrática Unitária

At https://www.facebook.com/