Opinião: “Racismo e estupidez”

Ana AmorimDeixem-me ver se entendo: quando me mascarei de índia e pintei a cara, em criança, estava a ser racista? Quando uma amiga, há uns anos, pintou a cara de branco cal para se disfarçar de gueixa, estava a ser racista?
E o primeiro-ministro do Canadá onde anda com a cabeça, para assumir tal coisa como racismo e retratar-se, arrependido, como se tivesse cometido um crime? Mas não há por aí quem lhes explique que racista é quem acha que pintar a cara da sua cor é desrespeito? Racista é quem se expõe ao ridículo de uma acusação tão patética.

Mas parece que se tornou normal…
Anda meio mundo a sucumbir à estupidez, só pode. Se um grita “isto é racismo!”, milhares (milhões?) de vozes o seguem, gritando o mesmo. Mesmo que não seja. Mesmo que bastasse pensarem três segundos (sim, três segundos chegava) para perceberem que estão a cometer um erro crasso simplesmente por não pensarem.
Começo a suspeitar que o tremendo desenvolvimento das últimas décadas, em vez de nos proporcionar a evolução pessoal (por termos toda a informação do mundo no bolso de trás ou onde quer que pousemos o telemóvel), nos está a carcomer o cérebro, neurónio por neurónio, até já não sobrarem pessoas lúcidas, imparcialmente informadas, e capazes de processar conceitos e acontecimentos à luz da simples razão humana.
A parvoíce prolifera com assustadora rapidez.
A preguiça mental está a tomar conta de tantas mentes que mais parece uma praga bíblica à solta!
Ou começamos a ter muito cuidado para não perdermos de vez a capacidade de pensar por nós mesmos ou caminharemos a passo firme para o matadouro global daquilo que fazia de nós especiais: a mente, os sentimentos, o intelecto…

Vivemos tempos de perigosas, devastadoras e instantâneas influências sociais; vivemos tempos de tiques de puritanismo que ameaçam o próprio tecido de que a sociedade é feita… e andam a querer esterilizar de tal maneira a existência e os comportamentos humanos, que qualquer dia deixaremos de ter anticorpos para combater o que quer que seja!
Pedirmos às pessoas que pensem, antes de embarcar nos navios da viral estupidez, não é má educação; é uma necessidade urgente.
Pensem, por favor, porque quando todos deixarmos de o fazer, a humanidade terá caído.

Ana Amorim Dias

At https://www.facebook.com/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s