Arquivo de etiquetas: Regionalização

Vizinhos extremenhos foram reivindicar “um comboio digno” a Madrid

Anúncios

Sobre o afastamento de Portalegre do debate sobre o Alentejo na RTP

Ceia da SilvaAssisti aos “Prós e Contras”.

Faço já uma declaração de interesses, tenho muito orgulho em ser alentejano.
Num mundo cada vez mais global as regiões vivem em concorrência permanente.
O que temos que demonstrar é que somos diferentes, distintivos e melhores do que os outros.
E nunca mostrar as nossas fragilidades.
Elas existem é óbvio, mas temos que lutar em conjunto e remando todos, mas todos para o mesmo lado para as ultrapassar e essa é a questão que faz a diferença.
Não consigo entender como a RTP e uma grande Senhora do jornalismo, Fátima Campos Ferreira, puderam realizar um programa com tantas lacunas-ausências de setores importantes e total ausência do norte alentejano e do litoral alentejano.
Três palavras para o Ministro da Agricultura, Luis Capoulas Santos – muito bem, mesmo que não seja o mais conveniente, temos que defender as Regiões, para o nosso empresário do Gin-relevante e para Jorge Rebelo de Almeida ao anunciar mais uma vez a construção doutro hotel no Alentejo, desta vez na Coudelaria de Alter do Chão.
Como diz o povo, “ai de mim se não for eu!”.
Viva o Alentejo!

At https://www.facebook.com/ / António Ceia da Silva

 

Pedro PintoSobre o Prós e Contras da passada segunda feira, cabe-me tecer os seguintes comentários:

1- Os movimentos que tendem a aparecer, não revelam mais do que pessoas com sede de protagonismo; para mim não têm expressão, porque nem a votos vão.

2- Esqueceram o Distrito de Portalegre, que curiosamente é o mais afectado pela seca extrema.

3- A jornalista quis que dissessem que o Alqueva não serve para colmatar a seca; mas sim, serve e de que maneira.

4- Os Presidentes de Câmara foram fazer figura de corpo presente.

5- Um programa destes tinha de elevar o bom trabalho que se tem feito no Alentejo, na Agricultura e principalmente no Turismo!

6- Não sendo alentejano de naturalidade, tenho muito orgulho na região que escolhi para viver e para criar raízes e família!

7- A RTP devia pedir desculpa aos Portalegrenses de todo o distrito, porque pura e simplesmente não fez o trabalho de casa ou então este já vinha encomendado, resta saber por quem.

8- A eterna guerra Beja/Évora não leva a lado nenhum.

9- O ministro Capoulas esteve bem, porque foi muito atacado por algum ressabiamento.

10- Com o Turismo em alta no Alentejo, porque não se ouviu o Presidente do Turismo de Portugal ou o Presidente da ERT? Porque iriam levantar bem alto o nome e as potencialidades do Alentejo e parece que isso não interessava ao programa.

11- Acabaram a cantar o “ouvi um passarinho”, vá lá, por momentos pensei que iam acabar com a “Grândola Vila Morena”!

At https://www.facebook.com/ / Pedro Pinto

IV Forum do Interior, este fim-de-semana, na ESECS

forum-interior-16cartaz

forum-do-interior_programa-provisrio-page-001

O IV Fórum do Interior, sob o lema, “Valorização do Interior: a Cooperação para a Sustentabilidade Integrada”, decorrerá na Escola Superior de Educação e Ciências Sociais, em Portalegre, nos dias 25 e 26 de novembro, sendo uma iniciativa promovida pela Animar, com o apoio local da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais – Instituto Politécnico de Portalegre, da CIMAA – Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo, da Associação A RAIA/LA RAYA e da Unidade de Missão e Valorização do Interior.

Despovoamento, envelhecimento da população, desemprego crescente, falta de oportunidades de trabalho, dificuldade de fixar a juventude, isolamento, altas taxas de pobreza, difícil acesso aos serviços básicos, estes são alguns dos traços comuns aos territórios de baixa densidade e que traduzem a sua degradação económica e social. Porém, todos os estudos e diagnósticos apontam também um conjunto diversificado de recursos para o desenvolvimento que estes mesmos territórios encerram. Neste sentido, o IV Fórum do Interior vai-se debruçar, mais uma vez e como é sua missão, sobre esta realidade e as formas de a contrariar.

Trata-se de uma iniciativa que junta pessoas ligadas a autarquias, academia, investigação, agentes e técnicos/as de desenvolvimento local, líderes associativos e atores locais que deram um importante contributo para a reflexão sobre os territórios da interioridade, promovendo o debate e interação de ideias que podem servir de base para a definição e reivindicação de novas medidas públicas e políticas que visem o combate ao despovoamento, ao abandono, à desagregação social e à depressão económica que caracterizam a maioria destes territórios do interior.

At https://www.evensi.pt/

Pelo iberismo, assinaram a Declaração de Lisboa

iberico-ng7686162

Paulo Gonçalves tem 47 anos, nenhuma experiência política, e é trabalhador por conta de outrem na Covilhã. Criou o Movimento Partido Ibérico em Portugal. Casimiro Sánchez Calderón é 30 anos mais velho, esteve mais de quatro décadas no PSOE que ajudou a fundar, e foi presidente da câmara de Puertollano, em Ciudad Real. Criou o Íber em Espanha.

A defesa do iberismo une-os há vários anos. A 1 de Outubro, tornaram oficial essa união com a assinatura da Declaração de Lisboa que marca a aliança entre o português Movimento Partido Ibérico e o espanhol Íber. O objetivo é consciencializar para os benefícios de uma união entre Portugal, Espanha e Andorra. (…)

Declaração de Lisboa

Os Ibéricos, como pioneiros da globalização, somos chamados a liderar um mundo com futuro incerto onde voltam a levantar-se fronteiras e onde se aprofunda a crise de valores. Vivemos numa península a sul da cordilheira dos Pirenéus, na parte mais ocidental da Europa, cuja fronteira a sul está a catorze quilómetros de África no ponto de encontro entre o Mediterrâneo e o oceano Atlântico, ponto onde se forma o nosso “espirito Ibérico”, palavras de Fernando Pessoa. A civilização Ibérica, fruto do cruzamento de várias civilizações anteriores, foi a primeira civilização Europeia a difundir línguas e cultura no resto do mundo.

O Português e o Espanhol são as únicas grandes línguas entendíveis reciprocamente. A nossa “pátria” é composta por 750 milhões de Iberofonos, valor derivado da soma de 500 milhões de Hispânicos com os 250 milhões de Lusofonos. Queremos que o “Mundo Ibérico” tenha o peso político que lhe é devido por direito. (…)

Partido Ibérico Íber / Movimento Partido Ibérico

O Partido Ibérico Íber / Movimento Partido Ibérico definem-se ideologicamente como Iberistas e Pan-Ibérista, isto é, defendemos um projecto político pan-nacional Ibérico que tem um duplo objectivo:

  1. A articulação constitucional e confederal da península Ibérica, como Comunidade Ibérica de Nações, composta actualmente por Portugal, Espanha e Andorra. O Partido Ibérico Íber e o Movimento Partido Ibérico defendem os interesses dos cidadãos Andorranos, Portugueses, Espanhóis e dos residentes de países Iberófonos. Reivindicamos um Iberismo sensato, plural y solidário assente na Declaração Universal dos Direitos Humanos e num modelo de um estado social justo. Seguindo a teoria de Aristóteles do ponto intermédio como equilibrio, queremos construir um consenso mínimo de 66% nas sociedades Portuguesa, Espanhola e Andorrana para legitimar as alterações constitucionais necessárias ao nosso objectivo.
  2. A articulação Intergovernamental da Iberofonia i, como Comunidade Iberófona de Nações. Defendemos a convergência da Comunidade Ibero-americana de Nações (América Hispânica, Brasil, Portugal, Andorra e Espanha), a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), assim como outros territórios com passado Iberófono.

O Partido Ibérico Íber e o movimento Partido Ibérico são organismos irmãos. Coordenamo-nos politicamente mas cada entidade ajusta a sua estratégia à realidade do seu país. Os nossos fundadores Paulo Gonçalves e Casimiro Calderón são exemplos de honradez política e intelectual, que nos inspiram dia-a-dia.

Aspiramos a converter-nos, simultaneamente, num Partido e num lobby. Partido porque queremos ser uma “escola” de pensamento, um laboratório de ideias e uma equipa com o objectivo de formar massa critica e levar o Iberismo às instituições. Lobby para influenciar a sociedade civil e as instituições partidárias por forma a assumirem uma lógica Iberista. Isto é, queremos condicionar a agenda política e que o novo Iberismo do sec. XXI se converta numa corrente transversal. (…)

Reunidos na Cidade de Lisboa, esta declaração Política foi aprovada pelo Partido Ibérico Íber e pelo Movimento Partido Ibérico, na Cimeira do dia 1 de Outubro de 2016.

_________________________________

[1] Frigdiano Álvaro Durántez Prados é o autor do conceito de Iberofonía. (“Paniberismo e Iberofonía”, Revista Diplomacia Siglo XXI, Julho 2015)

At http://www.dn.pt/https://estadoiberico.wordpress.com/

Unidade de Missão de Desenvolvimento do Interior, liderada por independente de Coimbra, nascida no Minho

Interior Daniela_Ferreira

O ministro-adjunto, Eduardo Cabrita, anunciou hoje, no parlamento, que a estratégia da Unidade de Missão para a Valorização do Interior será anunciada no sábado, em Idanha-a-Nova, organismo que será coordenado pela atual deputada socialista Helena Freitas.

Segundo confirmou hoje à Lusa o ministro-adjunto, o novo organismo “vai ter como coordenadora a professora Helena Freitas”, deputada do PS eleita por Coimbra, e terá como coordenador adjunto João Paulo Catarino, que preside à Câmara de Proença-a-Nova.

O governante, que falava no parlamento, após uma audição no âmbito da discussão na especialidade do Orçamento do Estado para 2016 (OE2016), explicou que o Governo decidiu assinalar os 100 dias no interior, em Idanha-a-Nova, “provando que quando há capacidade de iniciativa isso não é obstáculo ao desenvolvimento”.

“Em Idanha-a-Nova será anunciada, celebrando os 100 dias de governo, a estratégia de desenvolvimento do interior, de valorização do espaço rural, e em que será afirmada a entrada em pleno funcionamento da Unidade de Missão de Valorização do Interior”, afirmou, durante a audição parlamentar, Eduardo Cabrita.

O ministro-adjunto acrescentou que o novo organismo, de acordo com o que consta no programa governamental, “funcionará no núcleo central do governo”, junto do primeiro-ministro, António Costa, e na sua dependência enquanto governante com competências na valorização do interior.

A deputada socialista Helena Freitas, de 53 anos, foi vice-reitora da Universidade de Coimbra e deverá tomar posse na próxima semana, assim que seja concretizada a suspensão do seu mandato na Assembleia da República.

O até agora presidente da Câmara de Proença-a-Nova, João Paulo Catarino, 46 anos, possui formação em engenharia Agronómica e de Produção Florestal, e foi responsável pela Divisão do Núcleo Florestal do Pinhal Interior Sul.

“A estratégia de valorização do interior assenta numa visão não fatalista, não derrotista do que é o interior. Assenta, pelo contrário, no valorizar aquilo que são os bons exemplos que universidades e institutos politécnicos do interior, os exemplos de capacidade de fixação de quadros”, explicou aos deputados Eduardo Cabrita.

Na audição conjunta das comissões de Orçamento e de Poder Local sobre a proposta do OE2106, o ministro-adjunto sublinhou que o Governo olha para as zonas do interior do país como “uma área competitiva junto do mercado espanhol” e aposta na capacidade dos municípios para promoverem políticas de atração de investimento.

O Conselho de Ministros aprovou, em janeiro, a criação da Unidade de Missão para a Valorização do Interior, “que tem como objetivo criar, implementar e supervisionar um programa para a coesão territorial, promovendo medidas de desenvolvimento do interior”.

De acordo com o comunicado oficial, o organismo “pretende-se transversal, com o objetivo de promover a atração e fixação de pessoas nestas regiões, a cooperação transfronteiriça e o intercâmbio de conhecimento aplicado entre centros de Investigação e Desenvolvimento e as comunidades rurais”.

At http://beiranews.pt/