Opinião: “O Meu Sporting”

Mário Machado 32530673_220703091854566_636522167676174336_n

Não é segredo para ninguém que sou do Sporting, e que tenho por este Clube uma paixão que é tudo menos racional, até pelas atitudes e comportamentos que já tive ao longo da vida, sempre que esse Grande Amor se manifesta.

Sou sócio desde 1976, sendo toda a minha família sportinguista, desde o tempo dos meus avós. Hoje, com muito orgulho, e quatro gerações passadas, também os meus filhos são Verde e Branco.

Ainda sou do tempo que ia ver os jogos de Hóquei em Patins, Andebol entre outros no Pavilhão, com o meu pai, mãe, avós e primos. Lembro-me como se fosse hoje, do eco brutal, de toda uma massa associativa em delírio nas bancadas.

Lembro-me também de ir ao Estádio de Alvalade com o meu pai para a Bancada Central, e levar a almofada já caída em desuso, uma buzina que era também a haste da bandeira que orgulhosamente carregava desde a nossa casa no Paço do Lumiar.

Aos domingos de manhã, enquanto a minha mãe fazia o almoço, demorava horas por sinal, eu e o meu pai íamos ver “os miúdos”, expressão carinhosa com que o meu pai se referia às camadas mais jovens. 

Foi no tempo que tínhamos um Clube e não uma empresa. Uma massa associativa fervorosa e não accionistas calculistas, e em que nós, os sócios, éramos os donos do Clube.

Tudo isso acabou!

Sobre o pretexto de termos que nos modernizar, de estarmos preparados para o futuro, e para o Sec XXI passámos a ser uma SAD. (Triste, em Inglês).
E o que mudou?
Quase tudo!

Os grupos económicos/financeiros tomaram de assalto o Clube, e mais preocupados em realizar mais-valias, nunca perceberam ou quiseram entender toda uma dinâmica que envolvia um Clube como o nosso, ou seja : -Que estamos a borrifar para o dinheiro e queremos é ganhar! 

Assim, os melhores jogadores, a que chamam hoje “activos”, foram sendo vendidos mal o seu preço de mercado subia, e nunca se conseguiu fazer uma Equipa.

Preferia ver o SCP entrar em incumprimento com todos os Credores agiotas, e ser remetido para uma Divisão inferior, devido a castigos e sanções por incumprimento, recomeçando tudo de novo, do que ver o meu Clube de Coração a lutar pelo segundo ou terceiro lugar, com o único objectivo de receber o dinheiro das competições europeias. 

Em muito pouco tempo, teríamos o nosso Clube de volta, a ganhar e a lutar por títulos em todas as modalidades! Não deveria ser de outra maneira.

Qualquer projecto que apareça no Sporting, que não afronte directamente os Credores usuários, que não acabe com os “notáveis”, que tão silenciosamente e ardilosamente nunca demonstram oposição, somente e apenas quando o Rei está morto, ou em vias…Não terá sucesso.

Continuaremos assim condenados ao fracasso, a sofrer horrivelmente, a enviar uns para o hospital e outros para as prisões e os DDT (donos disto tudo), continuam alegremente a viverem as suas grandes vidas.

O Sporting precisa de uma Revolução, e essa Guerra Relâmpago só se pode fazer com quem não depende do Capital, nem de Burgueses, mas sim de si próprio e dos que o acompanham.
Conheço tantos, que fariam tanto mais, por muito menos.

Quero também salientar que ainda não tenho uma opinião formada acerca de BDC, mas quando vejo os que o rodeiam, chego à triste conclusão, que por mais boa vontade que tenha, e acredito que sim, é humanamente impossível, a este Homem fazer a Revolução que se exige! E parece-me que ele teria muita vontade disso.

Vou tentar de ora em diante, concentrar-me um pouco mais no nosso Sporting, e no que poder e estiver ao meu alcance, para que com o meu humilde mas revolucionário contributo possamos todos juntos mudar o seu status quo.

SPORTING SEMPRE!
Lisboa, 16 de Maio de 2018

Mário Machado

At https://www.facebook.com