Ex-comandante de Bombeiros fala de saneamento político

Pedro Rabaça 12274379_1069643756414008_1611338441431977744_n“Caros amigos.

Como a maioria já se terá apercebido, deixei de ser Comandante dos Bombeiros de Castelo de Vide, cargo que exerci, durante 11 anos. Entrei oficialmente nos bombeiros em Março de 1979, onde exerci todos os lugares da carreira operacional, bem como de comando. Empenhei-me sempre, no rigor, no conhecimento e no estudo e evolução, de todas as matérias ligadas ao socorro e à emergência. Todo este conhecimento foi aplicado no decorrer do tempo, nas acções para as quais fui envolvido, procurando sempre, que o conhecimento fosse um bom aliado na acção. Na maioria das vezes, acompanhado por todos os que faziam parte da organização, conseguimos resolver, aquilo que nos era colocado, atingindo sempre bons ou muito bons resultados.
Claro que um responsável operacional de um qualquer Corpo de Bombeiros, só será e terá resultados, se os seus homens, os camaradas que o acompanham assim o entenderem. Por aqui senti na grande maioria das vezes isso, o que me deixa orgulhoso e enaltece. Em Março passado, tivemos uma resposta operacional, que não correu tão bem, quanto desejaríamos e, eu em particular, como responsável operacional. Desse resultado, achei por bem, porque era a minha obrigação, colocar o lugar à disposição, por um problema que era de todos, repito todos, mas que em ultima análise seria sempre meu.
Passado este tempo todo e, porque me foi solicitado, assegurei as funções, num verão extremo, com toda a dificuldade que existiu, mas ainda assim, que correu bem em termos operacionais para o nosso corpo de bombeiros.
Fui informado então, pelo Presidente da Associação, que aceitavam o meu pedido de demissão, alegando que o CB, necessita de nova postura, para se poder dar novo rumo aos bombeiros. Aceito esta situação, o que não posso é deixar de ficar incrédulo, pois toda a substituição, terá sido iniciada já antes de tudo isto ter acontecido, das mentiras e falsidades existentes e, sobretudo na falta de carácter de algumas pessoas que se diziam “amigas”, mas que de amigo pouco ou nada tinham. Quero referir com isto, que a maioria, grande maioria dos elementos que fazem parte da organização, isto não se aplica.
É claro, que o tempo traz sempre a verdade ao de cima! Quero querer também, que as carências e as necessidades a nível operacional, irão deixar de existir, que irá começar a haver disponibilidade financeira para investimentos tão necessários, mas não de agora.
Espero que todas as batalhas porque tanto lutei e me empenhei, não venham a cair em saco roto. Mas basta ir-se a alguns locais de convívio ao fim da tarde num qualquer dia de semana, para nos aperceber-mos, que provavelmente os princípios se irão perder.
Este saneamento politico que agora acontece, fruto do ódio e da falta de aceitação de princípios tão básicos como os da democracia, teve a aceitação e o conhecimento de todos os que são e desempenham papeis de responsabilidade. Bastará fazer uma pequena retrospectiva, para saber que o que digo corresponde à verdade. Basta verificar os acontecimentos que aconteceram num passado não muito longínquo.
Até ao final do ano, reflectirei sobre o presente e o futuro.
Mas de uma coisa não abdico, que será o de agradecer a todos aqueles da família dos bombeiros e do voluntariado, que comigo estiveram, colaboraram e ajudaram, aqueles em que a amizade irá continuar a prevalecer e, a todos os que disseram sempre as coisas com frontalidade. Os outros, serão sempre os outros.”

At https://www.facebook.com / Pedro Rabaça