Nisa e Conhal do Arneiro no Projecto “Paisagem Cultural do Tejo”

Projecto alto_tejo

O projecto PAISAGEM CULTURAL DO TEJO – um processo colaborativo de reconhecimento, foi submetido em 2013 pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) em colaboração com a Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) e premiado em 2014. Este projecto surge na sequência de uma parceria estabelecida, em 2012, entre a Tagus Universalis Associação (TUA) e a FCSH com o objectivo de definir uma metodologia e um roteiro de ação que conduzisse a Paisagem do Tejo a Paisagem Cultural da UNESCO.

Também a Associação de Professores de Geografia e a Direção Geral de Educação, através de protocolo de cooperação, contribuíram para a consolidação da componente formativa e educativa do projecto através do apoio à participação das Escolas e das comunidades locais.

O rio Tejo constitui-se como um valor que congrega relevantes aspetos biofísicos, históricos e culturais traduzidos numa enorme riqueza e diversidade paisagística. Tal riqueza não tem sido considerada no âmbito do ordenamento e gestão do território numa perspetiva de desenvolvimento e coesão territorial, o que acaba por traduzir-se em grandes contrastes ao nível das dinâmicas do território tagano, comprometendo a sua integridade cultural.

O conceito em que se baseia o OBSERVATÓRIO DE PAISAGEM DO TEJO considera a paisagem como um processo cultural e social que atende às componentes identitárias e culturais, com vista à definição de uma visão partilhada do futuro numa perspetiva de governância.

At http://ff7800.eu/observatorio/

Alentejo volta “à carga” com a regionalização

Congresso Alentejo ficheiros-bin2_ficheiro_pt_0818229001446224381-267-page-001

A regionalização volta a ser reivindicada no Alentejo com a realização de um congresso que irá acontecer em abril de 2016. Apesar de admitir que não existem conclusões antecipadas do evento, António Ceia da Silva, membro da organização, é perentório ao considerar que a regionalização é decisiva para o país.

As vantagens do poder regional vão apresentadas por representantes de governos administrativos de Espanha, França e Itália.

As inscrições para o congresso já estão disponíveis.

A Amaletejo conta com a participação de eleitos do poder local, dirigentes de diversas organizações e associações da região e de personalidades que “vivem, trabalham ou simplesmente amam o alentejo.”

At http://www.dianafm.com/http://www.amalentejo.pt/

Forte da Graça, em Elvas, abre as portas amanhã

forte_da_graca

O Forte de Nossa Senhora da Graça, em Elvas, abre as suas portas ao público na próxima sexta-feira, a partir das 14 horas, após a inauguração das obras de requalificação deste monumento nacional.

O espaço, que é inaugurado esta sexta-feira, pela manhã com a presença de sua Excelência o Presidente da República, professor doutor Aníbal Cavaco Silva, vai funcionar de terça-feira a domingo, das 10 às 12 horas e das 14 às 17 horas, com entradas livres durante o mês de dezembro, nas segundas-feiras o monumento encontra-se encerrado.

Recorde-se que o monumento foi alvo de intervenção, ao longo de 11 meses, que se traduziu na recuperação da casa do governador, o ponto mais alto do forte, das casas dos oficiais, e restantes elementos arquitetónicos, tendo sido ainda repostas todas as cores e materiais originais do Forte e recuperadas as estruturas, nomeadamente a cisterna, a prisão, as galerias de tiro e a capela, onde foram descobertos frescos do século XIX, também eles alvo de intervenção.

A obra foi possível no âmbito do protocolo de transferência assinado entre a Autarquia e o Governo, em 2014, de cerca de 30 prédios militares, localizados em Elvas, do Estado para o município, sendo o Forte da Graça o mais emblemático.

A intervenção, orçada em cerca de 6,1 milhões de euros, vai ter uma segunda fase que se traduz na adaptação do mesmo para atividades culturais, que será também, alvo de candidatura a fundos comunitários.

At http://www.cm-elvas.pt/pt/