GOP’s e Orçamento de Nisa aprovados com voto PSD

PS PSD 2015-09-23-livro-vitor-matos-ps-psd

As Grandes Opções do Plano e o Orçamento do Município de Nisa para 2016 foram aprovados por maioria, na passada sexta-feira, 30 de Outubro, com os votos favoráveis do PS e PSD, e com os votos contra da CDU.

Declaração de voto da Presidente da Câmara:

“Mais uma vez, os legítimos representantes do Partido Comunista no concelho de Nisa, pretendem obstaculizar o processo e inviabilizar a qualidade de vida das nossas populações. É certo que os documentos finais foram apresentados hoje, na parte da manhã, nas residências dos eleitos. Contudo, repetimos, um dos eleitos comunistas participou na reunião do dia 28 do corrente, com os técnicos do município, na construção do Plano e Orçamento que foi entregue hoje a todos e a cada um de nós. Optou a Senhora Vereadora comunista por faltar à dita reunião, preferindo, sendo eleita e representante do povo, dar as suas aulas… são opções!

Ao votarem contra este documento previsional, estão a votar contra a construção do centro de saúde, a ultimação ou o acabamento da obra do mercado municipal, a requalificação do mercado de Tolosa, do Largo do Cruzeiro e do Calvário, em Alpalhão, do Alto de Stª Luzia e da requalificação do centro histórico de Nisa, da requalificação da escola de Montalvão e sua transformação em espaço museológico, da requalificação da escola do Convento e sua fruição enquanto centro de artes e ofícios, da requalificação das margens do Tejo, da realização da Nisa em Festa e demais eventos promocionais do concelho e das nossas gentes, da nossa cultura, dos nossos produtos, da dinamização da nossa zona industrial, da requalificação do Bairro da Cevadeira, da pavimentação da Azinhaga do Stº Menino, da beneficiação de arruamentos nas aldeias, do apoio económico aos empresários da indústria dos queijos de Tolosa, para resolução do problema, antigo, dos resíduos industriais, da concretização do bem-estar profissional dos trabalhadores do município que desenvolvem as suas funções no edifício do Hospital Velho e um sem número de outras situações, sendo a crucial o funcionamento da Câmara de Nisa, nomeadamente o pagamento dos ordenados a quem trabalha.

Dizer, ainda, que a dívida que temos que continuar a gerir e a pagar, nos inibe de almejar e investir mais e que nos condiciona, desde 2013, quando a dívida do município mais a da empresa municipal falida, ultrapassava os 9 milhões de euros, foi construída por quem nos antecedeu, gastando mais do que devia, sendo certo que temos que pagá-la e que consta deste orçamento, que os Senhores Vereadores do Partido Comunista votaram contra, cerca de meio milhão de euros, só para amortizar empréstimos que outros contraíram, curiosamente do P.C. e que nós temos que pagar.

Apesar das dificuldades e das tentativas de bloqueio por parte dos Senhores Vereadores da C.D.U./P.C., temos conseguido ultrapassar todas as barreiras e realizar acções concretas, quer no plano do apoio social, quer das infra-estruturas, sendo bom exemplo disso, a fotografia da capa das GOP, que exibe a beneficiação há décadas reivindicada e nunca concebida, para vergonha do nosso concelho, o piso sintético no nosso campo de futebol, sim, porque a verba prevista para esta obra, foi prevista no orçamento de 2015, em que, mais uma vez, os Senhores Vereadores comunistas, não votaram favoravelmente.”

Declaração de voto dos Vereadores da CDU:

Reunião Extraordinária da Câmara Municipal de Nisa

30.10.2015

A posição dos Vereadores da CDU na votação do MAPA DE PESSOAL DO MUNICÍPIO DE NISA, GRANDES OPÇÕES DO PLANO e ORÇAMENTO DA RECEITA E DA DESPESA DO MUNICÍPIO DE NISA PARA O ANO DE 2016 é de voto CONTRA, pelas razões que a seguir se apresentam:

  • Pelo terceiro ano consecutivo a Presidente da Câmara usa de total desrespeito pelos direitos conferidos por lei, através do Estatuto do Direito de Oposição  e pelos valores da democracia representativa e participativa, não permitindo aos eleitos a análise atempada dos documentos supracitados;
  • Ultrapassando largamente os limites da razoabilidade entregou aos eleitos, os documentos para análise e discussão, no próprio dia da reunião;
  • As Grandes Opções do Plano e Orçamento da Receita e Despesa do Município de Nisa para o Ano de 2016 são documentos que resultam das opções tomadas unilateralmente, pela Presidente da Câmara, nos quais os Vereadores da CDU não se revêem e onde não estão plasmadas as linhas estratégicas que consideram determinantes para a sustentabilidade do Concelho. Estes documentos correspondem às opções da Presidente da Câmara, e somente assim devem ser considerados, não refletindo um quadro de intervenção estratégica para o concelho.

Consumo de álcool entre jovens aumenta

Shot prendre-shot-alcool1

O consumo de álcool entre os jovens portugueses está a assumir proporções preocupantes e o distrito de Portalegre não foge à regra.

Segundo Walter Rodrigues, do Núcleo Distrital do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e Dependentes (SICAD), “há uma afluência bastante acrescida de pessoas com dependência de álcool”. O mesmo responsável revelou que os jovens optam pelas bebidas destiladas e mais graduadas e que o consumo é cada vez mais frequente e excessivo.

O consumo de álcool foi proibido a menores de 18 anos a 1 de julho, mas Walter Rodrigues considera que a alteração à lei do álcool não chega e que a proibição “é uma faca de dois gumes”. Para o dirigente a nova lei só faz sentido se for devidamente acompanhada por uma intervenção e fiscalização permanente e eficaz, que consiga consciencializar os jovens para os malefícios do consumo de álcool para a saúde.

At http://www.radioportalegre.pt/

A NATO está em Portugal

Nato 2015-11-02-JR__5219
Foto Lusa (Jo\303\243o Relvas)

Mais de 300 viaturas de combate e dois mil militares começaram ontem a atravessar o Tejo no âmbito do exercício internacional Trident Juncture, tendo sido instaladas 20 viaturas flutuantes M3 alemãs de última geração para o efeito.

O Trident Juncture 2015 – o maior exercício NATO desde 2002 – está a decorrer em Constância e Vila Nova da Barquinha, para além de outras localidades portuguesas, até 6 de novembro, tendo começado ontem a fase do exercício que envolve o recurso a fogo real, com o “resgaste de uma nação amiga da NATO” da ocupação inimiga, e com a travessia do rio Tejo para se alcançar o ponto que centraliza as operações de libertação.

O Batalhão Português esteve ontem de manhã com a missão de assegurar a segurança na ponte da Chamusca, por onde circula a grande maioria das viaturas militares. O exercício contemplou um ataque NBQR (Núclear, Biológico, Químico e Radiológico) à coluna, seguido da respetiva descontaminação.

No âmbito deste exercício internacional, Portugal, como nação hospedeira, está a participar com cerca de três mil militares, entre os quais 940 pertencem à NRF16 (1 Fragata, 200 militares, 1 Batalhão de Infantaria Mecanizado, 600 militares, 6 Aeronaves F16, 140 militares) e cerca de 700 viaturas militares (táticas).

Na totalidade, estima-se que em território português haja cerca de 10 500 militares (nacionais e estrangeiros) envolvidos no Trident Juncture 2015 (TRJE15).

At http://sicnoticias.sapo.pt/