Restaurante “O Chaparro” / Monte Filipe certificado

monte-filipe-hotel-galleryimg_1056

A Turismo do Alentejo / Ribatejo entregou dia 4 de Março, mais 28 certificados aos restaurantes do território, mais concretamente dos distritos de Évora e Portalegre.

Valorizar o receituário e os produtos do Alentejo, garantir a qualidade do serviço dos restaurantes, prestar informação de excelência aos turistas sobre a gastronomia e produtos endógenos, e consolidar o produto turístico gastronomia e vinhos são os objectivos principais da certificação, um processo integrado no projecto “Alentejo Bom Gosto”.

Factores como a decoração, o ambiente ou o serviço, assim como a apresentação de uma ementa constituída, maioritariamente, por pratos tipicamente alentejanos ou uma carta de vinhos, entre outros, são igualmente decisivos no processo de certificação.

Até ao momento, o Alentejo conta já com cerca de 50 restaurantes certificados, espalhados pela região. Em breve, vão ser certificados mais restaurantes, localizados no Baixo Alentejo e Litoral Alentejano.

“O Chaparro” / Hotel Monte Filipe em Alpalhão recebeu certificação ao lado de restaurantes como o “Solar do Forcado” e o “Tomba Lobos” em Portalegre, o “Páteo Real” em Alter do Chão“A Estalagem” em Arronches, a “Tasca do Montinho” em Avis, o “Hotel Santa Beatriz” em Campo Maior, o “D. Pedro V” em Castelo de Vide“O Sever” em Marvão ou o “Olivença” em Ponte de Sor.

Artigo de opinião: “À boa maneira portuguesa”

BBErQ-aCUAATRAy

À boa maneira portuguesa, passamos o tempo todo a desculpar os nossos erros com os erros dos outros. Os esquecimentos  e atrasos no cumprimento das suas obrigações do nosso Primeiro fizeram as delícias dos media. E a forma que encontram para o defender é atacando António Costa, tentando usar  a questão do pagamento da Siza.

Ora, eu não quero viver num país assim. Quero gente à séria. Que comete erros mas que os assume. Quem nunca tentou fugir aos impostos?! A questão aqui é moral: o que eu quero é que quem me governe seja sério. Seja Humano e Mortal, como os demais. Tem razão, Senhor Primeiro-Ministro, não precisa ser perfeito, mas precisa ser justo e correcto. Precisa agir segundo os princípios elementares que tanto apregoou durante a campanha. Mas isto só acontece porque nós não exigimos que seja. Em Portugal ainda existem pessoas que acham que um primeiro-ministro que não paga os seus impostos é digno de confiança e até o defendem. Lá vem o ditado: cada um tem o que merece…

Mas eu mereço mais. Mereço viver num país que me defenda até às últimas consequências: direitos, obrigações e qualidade de vida. Quero ligar a tv e assistir a bons contributos e não me sentir envergonhada como acontece tantas vezes. E quero que os meus filhos acreditem que o País deles é muito mais do que passa. E parem de me dizer que mesmo que eu resmungue – “eles lá não te ouvem, mãe!”. Quero que sejamos exigentes, mas para isso temos que ser bons cidadãos também. Que deixemos de olhar para o nosso umbigo e não nos abstenhamos de lutar para o bem comum. Votamos em pessoas ou votamos nos partidos? Votamos em consciência ou por que já nos restam poucos argumentos? Votamos porque sim ou não votamos porque sim também? Agora uma coisa é certa: não se queixem depois. Ah…e vale para tudo 😉

Andreia Costa